Foto: Secom

O secretário de Estado da Saúde, Geraldo Medeiros, visitou, na manhã desta sexta-feira (30), o Hospital Napoleão Laureano para se reunir com a diretoria da unidade. A agenda foi uma solicitação do governador João Azevêdo, no intuito de estudar a possibilidade de ampliar a ajuda financeira do Estado à instituição.

Durante o encontro, Geraldo Medeiros destacou a importância do hospital no contexto da oncologia na Paraíba e se mostrou sensível à causa da unidade. “A oncologia é a segunda maior causa de morte do mundo. É preciso assegurar que esse serviço siga funcionando em perfeitas condições”, pontuou.

O diretor do Napoleão Laureano, Carneiro Arnaud, lembrou que o hospital vive primordialmente do Sistema Único de Saúde (SUS), ou seja, 95% dos seus repasses são provenientes do SUS. Na ocasião, ele agradeceu o interesse do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde, em se inteirar do problema e buscar ajuda. “Estamos gratos com essa visita e satisfeitos com a reunião. O Governo da Paraíba é nosso parceiro, a exemplo do investimento feito no nosso Centro de Diagnóstico por Imagem (CDI)”, afirma.

Ao final da visita, Geraldo Medeiros frisou que vai levar as demandas feitas na reunião ao conhecimento do governador João Azevêdo, e, juntos, analisar a possibilidade de ampliar a ajuda financeira para o hospital. “Vamos estudar como o Governo do Estado pode ajudar essa entidade filantrópica que, ao longo dos anos, tem prestado um grande serviço à população paraibana, especificamente aos portadores de câncer”, enfatizou.

Além do secretário de Saúde da Paraíba e do diretor do Napoleão Laureano, participaram da reunião os profissionais da saúde que fazem parte do corpo diretor da unidade.

Secom

Total
1
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

“Temos que diminuir o nº de mortes no trânsito”, diz superintendente do Detran

Nos últimos sete anos, cerca de 10 mil pessoas perderam a vida em acidentes de trânsito na Paraíba, especialmente em acidentes envolvendo motocicletas esses números preocupam o Governo do Estado…