A Paraíba o tempo todo  |

Especialista fala o que é Telemedicina; processo que na PB já realizou mais de 70 mil atendimentos

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

A telemedicina é um processo avançado para monitoramento de pacientes, troca de informações médicas e análise de resultados de diferentes exames. Estes exames são avaliados e entregues de forma digital, dando apoio para a medicina tradicional. A telemedicina já é utilizada em todo mundo, de forma segura e legalizada, estando de acordo com a legislação e as normas médicas. Na Paraíba segundo dados da Associação Brasileira de Planos de Saúde (Abramge), mais de 70 mil pessoas foram atendidas pelos canais de pronto atendimento digital, em hospitais particulares ou por meios de aplicativos e ligações por videochamadas das redes públicas de saúde.

Para explicar esse novo processo o diretor de fiscalização e de comunicação do Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB), Bruno Leandro de Souza, pontua que a telemedicina é algo que já existia no país, mas com a pandemia ganhou notoriedade. Segundo Bruno, a telemedicina é dividida em três partes: a teleconsulta, em que o paciente é atendido direto por um médico; a teleinterconsulta em que o médico conversa com outro médico à distância sobre o caso do paciente e o telediagnóstico, em que o médico analisa imagens, lâminas ou exames para que possa diagnosticar o paciente, através de videochamadas.

Ainda de acordo com o diretor do CRM-PB essa é uma tecnologia importante para aproximar os médicos dos pacientes. “O CRM-PB apoia a telemedicina, pois essa modalidade promove a equidade entre os pacientes que podem ir ao consultório e os que estão distante fisicamente dos hospitais ou clínicas. Com certeza veio para ficar e se tornou indissociável no cotidiano desde 2020. A tecnologia é indispensável na vida das pessoas, usamos a todo tempo e acreditamos que os serviços não cessarão no período pós-pandêmico”, comentou.

Redação

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe