A Paraíba o tempo todo  |

Especialista explica mitos e verdades sobre a menopausa masculina

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

A Síndrome de Deficiência de Testosterona, ou andropausa (também conhecida como menopausa masculina), começa a manifestar-se a partir dos 40-45 anos. Por esta altura, os testículos começam a reduzir a produção de hormonas, mas este processo é lento, muito paulatino, pelo que costuma passar desapercebido por muitos homens. Para falar sobre esse tema foi escutado o urologista e professor de Medicina do Centro Universitário de João Pessoa (Unipê), Augusto José de Aragão.

“Existe essa associação por causa dos sintomas, que muitas vezes se assemelham e da faixa etária. Entretanto, ao contrário das mulheres que obrigatoriamente vão entrar na menopausa (com ou sem muitos sintomas) no caso do homem, o fato de chegar nessa faixa etária não significa que vão ter a andropausa, já que em muitos homens não há diminuição dos sintomas e nem queda dos hormônios masculinos”, disse Augusto José.

O urologista destaca ainda que esse (andropausa) não é um aspecto obrigatório aos homens, como é em todas as mulheres que passam dos 40 anos, por exemplo. “Mais do que preconceito, o que há é um conceito errôneo de que está com problemas porque está ficando velho, quando na verdade se trata de um problema físico que tem controle e correção dos sintomas”, comentou.

O corpo ressente-se através de uma série de sintomas, alguns mais notados do que outros, mas nem todos os homens os sentem (e nem sempre se manifestam com a mesma intensidade). Entre eles estão:

– Diminuição dos desejo sexual.

– Cansaço.

– Disfunção eréctil.

– Redução do tamanho dos testículos.

– Perda de massa e força muscular.

– Depressão.

– Alterações da memória e da concentração.

– Anemia.

– Aumento da gordura abdominal.

– Osteoporose.

– Insónia

Muitos homens dão-se conta destes sinais e associam-nos a alterações normais que ocorrem com a idade, fazendo com que demorem a marcar uma primeira consulta com um especialista. Mas, se tem algum destes sintomas, apenas o médico poderá fazer um diagnóstico adequado e dissipar as nossas dúvidas, uma vez que há muitos mitos associados à andropausa. Estes são os mais comuns:

  • A andropausa não existe. Falso. A síndrome pode ser leve em alguns casos, mas é real. No entanto, muitos homens negam o problema por falta de informação e, por vezes, pela componente depreciativa com que o assunto é ainda tratado em alguns círculos.
  • O desejo sexual e as ereções diminuem. Verdadeiro. Com a diminuição do nível de testosterona, a libido e o número de ereções espontâneas (as que ocorrem durante o sono, por exemplo) também são mais reduzidas. De qualquer forma, trata-se de um processo lento, não acontece da noite para o dia.
  • Todos os homens com mais de 40 anos com disfunção erétil e diminuição do desejo sexual padecem de andropausa. Falso. Antes de qualquer afirmação definitiva, um paciente com estes sintomas deve fazer uma avaliação específica para determinar a causa destas situações.
  • Qualquer homem com disfunção sexual precisa de testosterona. Falso. Tal como no caso anterior, antes de mais deve ser feito um diagnóstico, com o objetivo de estabelecer o tratamento adequado. Depois, o especialista dirá se as hormonas são um tratamento adequado ou não.
  • Existem fatores que podem acelerar a andropausa. Verdadeiro. A partir dos 30 anos, o envelhecimento normal do homem provoca uma queda de 1% dos níveis de testosterona; esta percentagem aumenta gradualmente a partir dos 45 anos. No entanto, homens com fatores de risco (diabetes, hipertensão, colesterol, obesidade…) notarão provavelmente uma descida maior e mais abruta daqueles níveis.
  • A alimentação ajuda a atenuar os efeitos da andropausa. Verdadeiro.Cumprir uma dieta e um estilo de vida saudáveis serve para manter a energia, a massa muscular e a força. Também ajuda a melhorar o estado de ânimo e a descansar melhor.
  • A andropausa é a menopausa masculina. Falso. Na mulher, a diminuição da fertilidade acontece de forma mais curta e concentrada, enquanto que a produção de espermatozoides no homem diminui mais paulatinamente; portanto, a capacidade reprodutiva do homem cai pouco a pouco.
  • A força diminui. Verdadeiro. A andropausa costuma produzir uma descida da densidade óssea (influem também outros fatores, relacionados com o envelhecimento) e uma redução da massa muscular.
  • O pelo corporal fica mais moderado. Verdadeiro. A diminuição da produção de testosterona também faz diminuir a quantidade de pelo no corpo.
  • Podem aparecer transtornos emocionais. Verdadeiro.  Os níveis baixos de testosterona podem provocar alterações no estado de ânimo, provocando geralmente uma sensação de tristeza. Além disso, o processo da andropausa pode causar falta de confiança em si mesmo. Em alguns casos, além disso, têm sido diagnosticados problemas de concentração.
  • Aumentam os peitos. Falso. A gordura corporal aumenta  com a andropausa e pode causar processos de ginecomastia (sensação de maior sensibilidade ou inflamação nas glândulas mamárias), mas isso não significa que o peito aumente como o de uma mulher.
  • Acontecem transtornos no sono. Verdadeiro. As alterações hormonais podem afetar os padrões do sono (tanto insónias, como uma sensação de sonolência contínua), ainda que possa não ser de forma grave. Se estas alterações se prolongarem no tempo, deve consultar o médico.

Redação

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe