Por pbagora.com.br

O secretário de Saúde da Paraíba, Geraldo Medeiros, declarou que é a secretaria desde o início da pandemia da covid-19 vem trabalhando com transparência e com a verdade, para passar à população as informações da forma mais correta e consciente possível, não causando pânico nem tampouco expectativas irreais nos paraibanos.

Ao falar sobre as vacinas que estão sendo desenvolvidas, algumas inclusive em estágio avançado de estudo e produção, Geraldo declarou que é preciso não iludir as pessoas, falando realmente o prazo que essas vacinas estrão disponíveis e o quantitativo que possa atender à população mundial.

“Essa prerrogativa das vacinas deve no nosso modo de entender ser do Ministério da Saúde. É preciso não iludir as pessoas, a vacina não vai parar a pandemia de imediato. Nós temos muitas vacinas em avaliação e quando visualizamos o quantitativo de vacinas que elas dispõe, por exemplo a da universidade de Oxford tem 60 milhões de vacinas. Essa quantidade para o mundo inteiro não é nada. Então precisamos ter em mente que a vacina não é essa panaceia que se preconiza e que as pessoas entendam que a obediência às medidas de precaução ainda é necessária” esclareceu.

O secretário ainda destacou que a política de vacinação brasileira é uma das melhores do mundo e que quando a vacina estiver disponível, ele acredita que todos os estados serão contemplados de forma igualitária.

“A política de vacinação do Brasil é uma das melhores do mundo o SUS tem uma infraestrutura que contempla todos os estados que deverão ser contemplados igualmente não há essa ganância dos estados no caso de beneficiar apenas algumas regiões” declarou.

PB Agora

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Hospital Geral de Mamanguape reduz fila de espera por cirurgias

O Hospital Geral de Mamanguape realizou mais uma ação do programa Opera Paraíba, na última semana, quando foram efetivadas 10 cirurgias eletivas de colecistectomia, histerectomia e hernioplastia. A previsão é…

Anvisa autoriza importação de seis milhões de doses da CoronaVac

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou nesta sexta-feira (23) a importação de seis milhões de doses da CoronaVac, vacina produzida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o…