O Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB) decidiu suspender, no início da noite de ontem, sexta-feira (09), a interdição ética da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Infantil Arlinda Marques, em João Pessoa, menos de 24 horas depois de anunciada e medida.

Segundo o Conselho, foi constatado que a Secretaria de Estado da Saúde (SES) contratou, emergencialmente, uma empresa de segurança, garantindo assim a segurança necessária ao estabelecimento após o pai de uma das crianças internada no setor ter realizado ameaças aos pacientes do local. Ele chegou a quebrar vidros e ferir dois pacientes.  O pai da criança de seis anos disse que se o menor morresse iria matar outra criança, de 12 anos, que também estava internada na UTI.

A interdição ética do CRM-PB começaria a valer a 0h deste sábado (10) e impediria que os médicos atuassem na unidade de saúde, mas o caso foi revertido a tempo.

Em entrevista, o secretário de Saúde, Geraldo Medeiros, havia alertado para os prejuízos para a população, que é quem sofreria mais.

 

PB Agora

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

“Temos que diminuir o nº de mortes no trânsito”, diz superintendente do Detran

Nos últimos sete anos, cerca de 10 mil pessoas perderam a vida em acidentes de trânsito na Paraíba, especialmente em acidentes envolvendo motocicletas esses números preocupam o Governo do Estado…