Estoque de EPIs é suficiente, mas faltam alguns tipos de medicamentos. CRM-PB vistoriou também hospital Clementino Fraga

O Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB) fiscalizou a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital de Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa, nesta quarta-feira (17), e constatou algumas irregularidades. A pedido do Ministério Público da Paraíba (MPPB), o CRM-PB foi averiguar falhas na aspiração traqueal dos pacientes internados na UTI, que foram comprovadas. A equipe do CRM-PB identificou que a forma que este procedimento vem sendo realizado aumenta o risco de contaminação dos profissionais de saúde e dos demais pacientes que estiverem próximos.

“O hospital não realiza a aspiração com sistema fechado, onde um mesmo cateter, mantido protegido, não desconecta o paciente do ventilador. Desta forma, não expõe quem estiver ao redor e diminui o risco de contaminação”, explicou o diretor de Fiscalização do CRM-PB, João Alberto Pessoa. Ele ainda disse que este procedimento é bastante frequente e essencial em pacientes que estão em ventilação mecânica.

João Alberto também destacou que o Hospital de Trauma não é referência para pacientes com a Covid-19, mas recebe pacientes suspeitos da doença, inclusive, faz testes rápidos para detectar o novo coronavírus. “Não há isolamento adequado para estes pacientes suspeitos e alguns já confirmados. Por isso, essa aspiração não pode ser feita de forma aberta”, afirmou o diretor de fiscalização.

O MPPB também solicitou ao CRM-PB que verificasse a quantidade de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e de medicamentos. De acordo com a equipe de Fiscalização, o estoque de EPIs é suficiente, mas alguns medicamentos estão em falta, como determinados sedativos. No entanto, há estoque de outras drogas sedativas que estão sendo usadas sem prejuízo aos pacientes.

O CRM-PB irá encaminhar o relatório de fiscalização ao Ministério Público da Paraíba, assim como para a direção técnica do hospital e Secretaria Estadual de Saúde.

Hospital Clementino Fraga

A equipe de Fiscalização do CRM-PB esteve também no Hospital Clementino Fraga, no último dia 8 de junho. Conforme o relatório de fiscalização, o hospital possui disponibilidade, razoável e ampla, de equipamentos, materiais, medicamentos específicos e EPIS para assistência aos pacientes com Covid-19. Há ainda uma sala de treinamento para a capacitação de profissionais na UTI.

Como pontos negativos, a direção técnica do hospital não apresentou as escalas médicas dos plantonistas, diaristas e demais médicos que prestam assistência nas UTIs de pacientes com Covid-19, nem os indicadores hospitalares (número de leitos, taxa de ocupação, internação, alta, óbitos, profissionais afastados).

Formato Assessoria de Comunicação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Pico da pandemia no Brasil deve ocorrer em agosto, segundo a OMS

A Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), braço da Organização Mundial da Saúde (OMS), estima que o Brasil ainda não chegou ao pico do coronavírus. A avaliação da entidade é que…

PRF escolta equipe médica com órgãos a serem transplantados em João Pessoa

A Polícia Rodoviária Federal está realizando, no início desta sexta-feira (3), a escolta de três órgãos a serem transplantados em João Pessoa. A solicitação foi realizada pela Central de Transplantes…