Por pbagora.com.br

Assim como aconteceu nas eleições de 2018, quando tentou se impor como candidato ao Senado Federal na chapa encabeçada pelo senador Zé Maranhão (MDB), o ex-deputado federal Walter Brito Neto (MDB) voltou à cena política e também quer ser lembrado nas eleições de 2020 como pré-candidato à prefeitura de Campina Grande. A decisão do ex-parlamentar acontece mesmo após o partido na Rainha da Borborema ter anunciado o nome da médica Tatiana Medeiros como a escolhida para encabeçar a disputa pela legenda, na cidade.

À Rádio Campina FM, Brito disse que vai tentar conseguir o posto de candidato, mas quer ser respaldado pela população. Segundo ele, o partido deverá fazer uma pesquisa para saber qual o melhor nome para representar o Movimento Democrático Brasileiro.

– Só eu tinha apresentado minha pré-candidatura no partido e agora vamos tentar chegar a um consenso. Não tem problema que ela (Tatiana) apresente seu nome também, isso é democracia, mas é importante ouvir o respaldo da população. A minha pré-candidatura continua de pé e vamos tentar conseguir isso e, se não houver consenso, podemos bater chapa nas convenções – exclamou.

O empresário disse que quer que o MDB tenha uma candidatura em oposição à atual administração e ressaltou que Tatiana Medeiros não demonstra esse papel já que o filho dela, o ex-vereador Cassiano Pascoal, faz parte da gestão Romero Rodrigues.

– Defendo novas ideias e estou combatendo os problemas que a atual gestão têm, e Tatiana tem se apresentado como aliada e o projeto dela não faz sentido. Ela não é oposição e quer uma candidatura pela ala governista. Assim, acho que, nas pesquisas, tenho condição de vencê-la. Ela não desejava disputar as eleições e foi induzida por pessoas. Não podemos deixar que o partido sirva de sublegenda – defendeu.

Essa não é a primeira vez que Brito ‘tumultua’ as decisões do MDB. Em 2012, ele e Tatiana disputaram a preferência do partido, quando o senador Veneziano findava o mandato de prefeito e tentava emplacar o substituto. Uma pesquisa, entre a população, escolheu o nome da médica para concorrer contra Romero Rodrigues.

– Quando estávamos pleiteando em 2012, o que determinou o nome foi uma pesquisa. Então, o momento é diferente. O partido não tem mais o ex-prefeito Veneziano e agora cada um passa a assumir sua densidade eleitoral. Vamos participar dessa pesquisa e ver quem é o melhor – ressaltou.

 

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Galdino revela sondagem do governador sobre 2022: “Vou dialogar”

Após a confirmação por parte do presidente nacional do Avante, Luis Tibé, do nome de Eliane Galdino como presidente estadual do partido, o presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB),…

Acéfala, oposição na ALPB busca um líder para chamar de seu

Sem Raniery e sem Eduardo Carneiro, liderança já foi dispensada por Camila Toscano e Tovar Correia Lima Após o deputado Raniery Paulino (MDB), que atuava como líder da oposição na…