O senador Vital do Rego Filho (PMDB) negou na manhã desta segunda-feira (18) em evento na sede do PMDB, em João Pessoa, que esteja em desconforto sobre a não indicação dele ao Ministério da Integração Social, cargo deixado na gestão da presidente Dilma (PT), após rompimento da legenda com o PSB.

"A minha fase nesse processo termina quando eu recebi consenso do meu partido sobre esse assunto. Eu só devo explicações para os meus companheiros. Tenho por eles e eles por mim uma relação de confiança e pala primeira vez na democracia o PMDB tem uma expectativa de um cargo para uma pessoa que uniu, os membros da Câmara e Senado. Minha missão termina ai", frisou.

 O senador negou qualquer tipo de incômodo com a demora que a presidente está diante de apresentar um nome para o Ministério que há mais de um mês está sem um titular.

"Não faz parte das minhas prioridades e da minha preocupação o ministério. A presidente tem um tempo certo para sua reforma, ela fará as mudanças na hora certa, porque ela precisa contemplar os partido de sua base. O que couber ao PMDB, havendo a manutenção das convergências em torno do meu nome, nós pensaremos nessa possibilidade".

 

Vital revelou que seu verdadeiro foco é no mandato, como senador, vice-líder do partido no Senado e presidente da Comissão de Constituição e Justiça.

 

Vanessa de Melo com informações de Henrique Lima

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Ludgério trata Bruno como ‘quadro valoroso do PSD’, mas reforça que segue no páreo

Reconhecimento a quadros valorosos do nosso partido. A declaração é do deputado estadual Manoel Ludgério (PSD) que tratou o respaldo do presidente nacional da sigla, Gilberto Kassab, ao nome do…

Disputa em CG: Veneziano aposta na união Podemos, PT e PCdoB no 2º turno

O senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB-PB|), avaliou durante entrevista a CBN, como normal a decisão do PT de Campina Grande de não manter candidatura própria nas eleições deste ano…