Reagindo com ceticismo ao evento domingo (8) do partido Avante, a população de Itaporanga não esboçou a repercussão (positiva) desejada por líderes desse agrupamento, mas, ao contrário, preferiu aguardar as reações pós-repasto dessa movimentação. A filiação de Júnior Carnaúba, irmão do deputado Taciano e filho do ex-prefeito Luis Carnaúba (Curral Velho), foi celebrada pelo partido com o ex-prefeito Djaci (PSDB) e o atual Divaldo (sem partido) coadjuvantes embevecidos num acordão mirando às eleições de 2020.

As ausências no evento teve mais repercussão do que as presenças, isso é um fato. A primeira reação de significado importante surge justamente daquele que detém segundo maior cargo de relevância no município: vice-prefeito Herculano Pereira. Em contato com o Blog, na noite de ontem (9), ele disse não concordar com “conchavos” feito entre quatro paredes sem o povo: “Os itaporanguenses, filhos da terra, não concordam com ‘acordão’ sem participação da população, que visa apenas interesses pessoais”, comentou. E fez um alerta aos navegantes: “Os filhos da terra, que sempre defenderam Itaporanga, vão reagir, disso pode ter certeza”.

Vereador por dois mandatos (três com o primo Ubiramar), ex-presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Itaporanga (CDL), membro de uma das famílias mais respeitadas no município, o empresário Herculano foi candidato a deputado estadual em 2014 e mesmo sem apoio da prefeitura e estrutura financeira teve em Itaporanga quase quatro mil votos (abaixo uns 500 votos da votação de Taciano, que foi de 4.429, contando com a prefeitura e um aparato financeiro gigantesco). Imagina se Herculano tivesse esse aparato, passava dos seis mil votos.

Herculano tem serviço prestado à comunidade e capital de respeitabilidade que lhe conferiu ser uma espécie de fiador (junto ao setor empresarial do comércio e serviços) para pavimentar a eleição de Divaldo como prefeito em 2016, estando ele na condição de vice-prefeito. Sua presença na chapa foi importante para garantir a concretização do projeto. E nessa condição, como vice-prefeito, ele afasta a tese errônea criada pela mídia do partido Avante de que ali se unia situação e oposição. Além de contestar, Herculano afirma que mantém seu nome como opção à Prefeitura no pleito vindouro.

“Mantenho minha disposição de concorrer à prefeitura em 2020 e vamos conversar com os demais líderes da oposição e muita gente da situação que não concordam com isso. Itaporanga precisa de um projeto de governo, não um projeto pessoal de poder. Acredito em projeto que nasce de dentro do povo, conversando com o povo que não aprova um acordão desse tipo. Itaporanga e seus filhos vão reagir à altura, como mostrou várias vezes em eleições passadas, pode ter certeza”, concluiu o vice-prefeito que disse estar aberto ao diálogo e apoiar também um outro nome, desde que seja aclamado pela população.

Herculano, inclusive, já deu início a entendimentos com grupos, vereadores (a grande maioria) e lideranças, que também não concordam com essa movimentação. Olhos para os próximos acontecimentos…

 

Redação com Blog de Ricardo Pereira

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Gervásio diz que PEC da 2ª instância é inconstitucional

Durante discurso na Câmara dos Deputados, o deputado federal Gervásio Maia, vice-líder das oposições, afirmou que a PEC (Proposta de Emenda à Constituição), que tramita atualmente na CCJ da Casa,…

PMJP em 2020: PRTB mira articulações em torno do nome de Eduardo Carneiro

Uma reunião marcada pela executiva municipal do PRTB de João Pessoa, para a tarde desta quarta-feira (13) deve movimentar os bastidores da política na Capital paraibana. De acordo com o…