Vereador acusa PMJP de superfaturar contratos com emrpresas de segurança e ignorar concursados da Guarda

O vereador Lucas de Brito (DEM) acusou, na manhã desta quarta-feira (16), durante pronunciamento na tribuna da Câmara Municipal de João Pessoa a prefeitura municipal da Capital de superfaturar os contratos com as empresas que fazem a proteção e a segurança dos prédios públicos da gestão Luciano Cartaxo.

O parlamentar citou as empresas Gadi e Kairós como as vencedoras do certame de 2013 para a segurança dos prédios públicos, emplacando juntas um empenho de quase R$ 5 milhões, valor que, segundo Lucas, é bastante alto.

"A prefeitura não pode dizer que falta dinheiro para nomear os concursados porque está provado que dinheiro ela tem. Só até outubro foram empenhados R$ 4 milhões a essas duas empresas. E a GADI doou R$ 800 à campanha de Luciano Cartaxo. Se ela doou isso formalmente, imagino que deva ter doado muito mais por debaixo dos panos. É preciso dizer que em 2008, o gasto com segurança privada era cerca de 10% do que foi empenhado este ano. Naquela época, o valor foi de R$ 310 mil", disse Lucas.

As duas empresas vencedoras são responsáveis pela segurança e ordem nos cemitérios, mercados públicos, Estação Ciência Cabo Branco, Casa da Acolhida e o Parque Arruda Câmara. O número de funcionários contratados pelas empresas para fazer a segurança não foi citado.

Ainda segundo o parlamentar, enquanto a prefeitura destina milhões para a contratação de empresas particulares, cerca de 150 concursados da Guarda Civil, que passaram pelo curso de formação, seguem sem expectativa de nomeação pelo Governo Luciano Cartaxo.

“Eles estão desesperados para serem convocados e até agora não foram chamados, sem contar que ainda reclamam de não terem recebido o valor total da bolsa destinada para os concursados que passaram pelo curso de formação”, detonou.

Em aparte, Raoni Mendes (PDT) defendeu a gestão petista de João Pessoa:

"Seria bom vossa excelência verificar se os valores empenhados vieram dos restos a pagar da gestão passada. Também é preciso citar que o proprietário da GADI foi candidato a vereador apoiando a candidatura de Cícero Lucena. Somos favoráveis à nomeação dos concursados, mas não queira manchar a integridade do prefeito fazendo ligações sobre doações ilegais". 

Já o vereador Marcos Antônio endossou a defesa de Mendes. "Essas são conjecturas perigosas para se fazer na Câmara. Entra-se numa seara perigosa de suspeita de crimes. Isso não é da trajetória do prefeito".
 

 

 

Ytalo Kubitscheck/ Márcia Dias


PB Agora

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Análise – Rompidos, ou não, a verdade é: quem tem cargos no governo está sendo chamado ao palácio para declarar se fica com João ou RC

Se o rompimento político entre João Azevedo e Ricardo Coutinho será contornado, ou não, aí é com Mãe Diná… No mais, a verdade é que – há uma semana –…

“Estou desencantada com a postura de muita gente que estava ao lado de RC”, diz socialista

“Estou desencantada com a postura de João Azevêdo e de muita gente que estava ao lado de Ricardo nessa construção”. A declaração é da vereadora Sandra Marrocos, do PSB, ao…