Por pbagora.com.br

Um fato chamou a atenção de todos na cidade de Cajazeiras, importante município do Sertão da Paraíba, distante 450 km de João Pessoa e que nesta semana viu os ânimos se exaltarem entre um vereador e um auxiliar da prefeita Denise Albuquerque que trocaram insultos e o caso pode acabar na Justiça.

 

O conflito aconteceu na sessão da última terça-feira (27) da Câmara Municipal de Cajazeiras foi marcada por uma denúncia do vereador Neto da Vila Nova (PPL), de que havia sido destratado publicamente pelo secretário de saúde do município, Henry Witchael, com palavras de baixo calão, quando o parlamentar teria cobrado a solução para a aquisição de uma medicação de alto valor para uma pessoa pobre do bairro que representa.

 

 

""A polêmica terminou nos programas de rádio de Cajazeiras, mas o secretário negou que tenha dito qualquer palavra ofensiva ao vereador, afirmando que apenas mandara o parlamentar ir trabalhar.Vários vereadores se solidarizaram com Neto da Vila Nova e o presidente da Casa Otacílio Jurema, Nilson Lopes, colocou a assessoria jurídica da câmara a disposição do vereador, que se sentiu atingido na sua honra, quando procurava resolver uma pendência da área de saúde, no exercício da sua atividade parlamentar. Explicando o entrevero ao Blog de Adjamilton Pereira, o vereador Neto disse que encontrou o secretário próximo ao Posto de Saúde da Padre Cícero e, ao perguntar sobre a solução do problema, ele estava de costas e sequer se virou para atender e disse que não havia resolvido, nem iria resolver e teria, segundo o vereador, lhe mandado tomar naquele lugar.Essa versão é contestada pelo secretário Henry Witchael, ao acrescentar que sempre atendeu bem a todos os vereadores.

 

 

A verdade é que a briga tomou conta das rodas de conversa da cidade e apenas evidenciam o clima de guerra e de criticas conta a gestão socialista em Cajazeiras, pois na semana passada o deputado estadual Vituriano de Abreu (PSC) em discurso na Assembléia Legislativa criticou duramente a prefeita Denise, por ter acabado com o Xamegão, que este ano completaria 26 anos, consagrado como um dos maiores São João da Paraiba, só perdendo para Campina Grande. Abreu questionou porque a prefeita acabou com uma das festas mais tradicional do nordeste e um dos maiores eventos da cidade, pois dizer que o município não tem dinheiro é uma desculpa para quem não tem iniciativa própria, não tem coragem e nem criatividade.

 

 

O parlamentar argumentou que não poderia ficar calado diante da situação e, por isso, o seu protesto em cima do governo municipal onde, segundo ele, “todo mundo dorme, a cidade abandonada e a dona da prefeitura, que dá sinal que está viva, mas não está”, disparou o deputado.

 

 

PB Agora

 

Notícias relacionadas

ALPB vota hoje projeto sobre disque-denúncia pelo WhatsApp

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) deverá votar na sessão ordinária de hoje o projeto de lei de autoria do presidente da Casa, deputado estadual Adriano Galdino(PSB) que institui o…

Secretário executivo de Saúde da PB recebe título de Cidadão Paraibano

O título de Cidadão Paraibano foi concedido ao médico Daniel Gomes Monteiro Beltrammi, secretário executivo de Estado da Saúde. A honraria foi publicada na edição do Diário Oficial do Estado…