A Paraíba o tempo todo  |

Vereador de JP, dono de academia que reabriu na pandemia, se exime de responsabilidade e culpa aluno/professor

O vereador Tarcísio Jardim, do Patriotas,  transferiu para o aluno/professor Marcelo Soares a responsabilidade total da reabertura de uma academia de jiu-jitsu Checkmat, que esteve aberta no dia 29 de março de 2021, período dos feriados antecipados, com pelo menos cinco pessoas praticando o esporte sem máscaras. Na data, estava em vigor o Decreto Municipal 9.699/2021, que visava conter o avanço do coronavírus.

Segundo o parlamentar, desde setembro do ano passado, época da campanha eleitoral, ele não mais opina nas decisões do estabelecimento, apesar de o CNPJ da empresa ainda constar no seu nome.  Ele ainda explicou que a administração ficou 100% sob o comando do aluno Marcelo Soares, que também é professor na unidade.

O parlamentar acredita que a repercussão em torno da ação do Ministério Público que cobra uma multa no valor de R$ 250 mil se dá justamente por ele ser vereador de mandato em João Pessoa.

“Esse fato da academia se deu pelo seguinte, eu sempre respondo à imprensa porque não tenho nada a esconder. Quem tem uma vida limpa e cristalina não tem nada a temer e é justamente o que estou fazendo agora. A administração da minha academia já não era mais minha desde setembro do ano passado, que foi a época da campanha eleitoral e essa academia estava sob a responsabilidade do aluno, ele foi meu aluno e também é professor, Marcelo Soares, que eu o chamo como Teco. Então desde então eu não tinha mais opinião, domínio ou influência administrativa na academia. Na verdade eu mal ia na academia. Eu não sabia que o Marcelo iria abrir a academia, eu soube através de vizinhos que me enviaram fotografias com a polícia no local, foi um ato involuntário e unilateral do Marcelo, eu não tenho responsabilidade sobre isso, mas por ser um vereador se chama mais atenção colocar meu nome, só porque o CNPJ está no meu nome ainda”, disse em entrevista ao programa Arapuan Verdade

OUÇA

Ainda conforme o parlamentar, durante a audiência o Ministério Público fez uma proposta de acordo estipulando uma multa no valor de R$ 50 mil, já na primeira notificação. “Já na notificação veio uma multa desse tamanho”, lamentou.

 

PB Agora

PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe