Por pbagora.com.br

O ministro Arnaldo Versiani, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), mandou notificar o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, para que, se quiserem, apresentem defesa em relação a uma representação do DEM e do PSDB, que os acusam de fazer propaganda eleitoral antecipada.

Segundo os partidos, Lula fez sucessivas citações a Dilma, que seria sua candidata à sucessão no Palácio do Planalto, em um encontro de prefeitos promovido pelo governo em Brasília neste mês. Os partidos querem que os dois sejam punidos com a obrigação de pagarem multa.

O despacho de Versiani foi assinado na última quinta-feira, 19. Mas por causa do feriado de Carnaval, o prazo estipulado pelo ministro de 48 horas para apresentação da defesa a partir da notificação, foi prorrogado. O TSE e o Planalto não informaram na quarta-feira se Lula e ministra já haviam sido notificados.

 

Na representação, os partidos sustentam que Lula e Dilma praticaram atos vedados pela legislação eleitoral durante evento realizado pelo governo nos dias 10 e 11. O governo anunciou que o evento custou R$ 253 mil. Mas nota de empenho do Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal (Siafi), revelada pelo Estado, mostrou que a União desembolsara pelo menos mais R$ 1,35 milhão para pagar as despesas.

estadao.com.br

 

Notícias relacionadas

Queda de energia em JP obriga Câmara a adiar audiência sobre a LDO 2022

A audiência pública para discutir a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o exercício financeiro de 2022, que estava agendada para ocorrer nesta terça-feira (15), às 11h, foi adiada para…

Eletricitários farão manifesto hoje em CG contra a privatização da Eletrobras

Os trabalhadores e trabalhadoras da Eletrobras – Chesf em Campina Grande, irão realizar nesta terça-feira (15), ato de protesto contra a privatização da empresa e pelo não cumprimento do ACT.…