Por pbagora.com.br

A Paraíba está entre os 13 Estados da federação que têm nota suficiente para contratar novas operações de crédito, como empréstimos, cooperações e outras operações financeiras que necessitem do aval da União. Os dados constam no Boletim de Finanças dos Entes Subnacionais de 2018, divulgado nessa terça-feira (13) pelo Tesouro Nacional.

 

No documento, o Tesouro Nacional avalia a Capacidade de Pagamento (Capag) dos Estados e somente aqueles com notas A ou B poderão pleitear o aval da União em empréstimos. A Paraíba foi avaliada com a nota B, cuja classificação foi recuperada no ano passado, após o Estado ser considerado com uma situação fiscal boa, com risco de crédito médio. Apenas o Espírito Santo obteve classificação A.

 

De acordo com o boletim do Tesouro Nacional, a Paraíba também se destacou entre os Estados que não apresentaram crescimento real de gastos, ao lado de Pará, Amapá e Espírito Santo, enquanto os demais Estados registraram uma média de crescimento real de 2,96% em 2017.

 

Para avaliar os resultados fiscais dos Estados, o Tesouro Nacional leva em conta diversos indicadores, a maioria ligados ao endividamento, à capacidade de poupar parte das receitas e aos gastos com pessoal. As notas são calculadas quando os Estados pedem o aval do Governo federal para obter empréstimos e financiamentos, cujas operações dependem de garantia da União. As notas variam de A a D e para obtenção de créditos, se o Estado tiver nota A ou B, a área responsável pode avaliar as operações.

 

Redação

 


Veja como adquirir a certificação digital para pessoa física sem burocracia

 

Notícias relacionadas

Opinião: Lava Jato só serviu para pôr a extrema-direita no Poder e quebrar o Brasil

Para melhor avaliar o estrago que foi a Lava Jato, basta que se observe o que era o Brasil antes e depois de instituída esta Operação. Tanto do ponto de…

Mesmo sob novo comando, CMCG é criticada por ‘dormir nas suas atribuições’

A mudança de comando na presidência da Câmara Municipal de Campina Grande (CMCG) em nada alterou o andamento do trabalho legislativo. Pelo menos é essa a percepção do vereador Olímpio Oliveira…