Por pbagora.com.br
 
 

O Ministério Público Eleitoral (MPE), através da promotora Jovana Tabosa, abriu procedimento que pode culminar com a cassação do mandato do vereador de João Pessoa Bispo José Luiz (Republicanos).

O procedimento investiga suposta ‘candidatura laranja’ da ex-candidata a vereadora em João Pessoa Marlene Garla Pereira da Silva. Ela não teve um voto sequer nas eleições, o que acendeu o alerta da promotoria eleitoral.

A suspeita é de que o Republicanos tenha utilizado o seu nome para cumprir a cota de gênero, que determina a obrigação de 30% das candidaturas serem de mulheres, mas na realidade usou os recursos da campanha dela para outras candidaturas, inclusive a de José Luiz.

A promotora Jovana Tabosa quer saber ainda se ela realizou campanha eleitoral para o cargo, quanto recebeu do fundo partidário para gastar durante a campanha eleitoral, se foi ela que usou o dinheiro, como foi feita a campanha. Na prática, descobrir se ele entrou na disputa pra valer ou se seu nome foi usado para ajudar o partido a cumprir a legislação eleitoral.

Sobre Bispo José Luiz

Bispo José Luiz foi o quarto vereador mais bem votado nas eleições de 2020, com 5.883 votos. Ele ficou atrás apenas de Tanilson Soares (7.570 votos); João Corujinha (6.255 votos) e Milanez Neto (6.238 votos).

 

Da Redação

 
 
Notícias relacionadas

Alheio a debate político, PDT faz mistério sobre futuro e alianças em 2022

Após o deputado federal Damião Feliciano (PDT) ter vencido à Covid-19 em meio a uma batalha pela vida de quase 90 dias, a família tem evitado entrar no debate político…

Bruno Farias evita debater 2022, mas diz que não faz objeção a nome de Efraim para o Senado

O vereador Bruno Farias (Cidadania), presidente da sigla em João Pessoa, declarou na tarde desta quinta-feira durante entrevista à TV Arapuan, que os debates a respeito da formação da chapa…