Suposto excesso de incentivo da PMJP ao Botafogo da Paraíba provoca ‘ciumeira’ em outras áreas do esporte

Representante do futebol americano na Paraíba, João Pessoa Espectrus segue invicto e goleando vários rivais do Nordeste

A Prefeitura Municipal de João Pessoa foi patrocinadora máster do Botafogo da Paraíba na série D do Campeonato Brasileiro. Por meio do programa João Pessoa de Todas as Torcidas, a Prefeitura investiu R$ 800 mil na equipe, o que foi revertido em estrutura e novos reforços para o time. Ainda no começo do ano, o programa investiu quase R$ 1 milhão para que os três principais clubes da Capital – Botafogo, Auto Esporte e CSP – pudessem disputar o Campeonato Paraibano.

Mas nem tudo são flores no esporte para os pessoenses.

Atletas e simpatizantes do futebol americano denunciam o abandono da prefeitura aos demais esportes que não tenham o mesmo efeito midiático do futebol.

O João Pessoa Espectros publicou nesta sexta-feira uma carta-aberta ao prefeito Luciano Cartaxo em que a associação desportiva declara sua “insatisfação” com a Prefeitura de João Pessoa por causa da “total falta de apoio” com a equipe que “representa a capital paraibana no Campeonato Brasileiro de Futebol Americano". Atual tricampeão nordestino e já classificado para a reta final da competição nacional, o time reclama que não consegue nem mesmo a liberação do Estádio da Graça para mandar seus jogos em casa.

Na carta, o Espectros deixa claro que não pleiteia apoio financeiro da Prefeitura, por saber que há outras prioridades para a verba pública do município, mas diz não entender o fato de a Graça não ser disponibilizada para os jogos do time.

– Por cerca de seis anos realizamos nossos jogos no Estádio Leonardo da Silveira, popularmente conhecida como Arena da Graça, estádio que chegamos a chamar de nossa casa, e da qual, aparentemente, fomos despejados – destaca a associação numa parte da carta, que foi publicada nas redes sociais e repassada por email.
O Espectros informa ainda, no documento, que o último jogo do time precisou ser realizado em Bayeux, município localizado na Grande João Pessoa, justamente por não ter conseguido a liberação da Graça.

– Com muito trabalho e competência terminamos a primeira fase do Campeonato Brasileiro em primeiro lugar do país. Tal colocação nos permite sediar em casa, caso avancemos, todos os jogos a partir das oitavas de final até a final da competição. Mas o direito que conquistamos em campo pode agora nos ser tirado por falta de apoio do poder público – prossegue o texto, destacando que a Graça no momento atual está sendo usada exclusivamente para "competições de futebol amador".

Voltando-se diretamente à Prefeitura, a carta enfatiza ainda que a Secretaria de Juventude, Esporte e Recreação é uma pasta de esportes e não apenas de futebol.
Procurado pela reportagem, o vice-presidente do Espectros, Brunno Baracuhy, lamentou a postura da Prefeitura de João Pessoa e classificou a atitude como “falta de visão” do Poder Público.

"Infelizmente a Prefeitura mais uma vez não liberou o Estádio da Graça, indo contra o avanço e a evolução do esporte em todo o Brasil."

Confira na íntegra a carta aberta ao prefeito Luciano Cartaxo em que a associação desportiva declara sua “insatisfação” com o tratamento da gestão:

PB Agora
 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Sem mandato, Cássio garante que continuará colaborando com a Paraíba e classifica como remota tese de disputar PMCG

Sem mandato há seis meses, o ex governador e ex senador Cássio Cunha Lima (PSDB), praticamente afastou a possibilidade de disputar a prefeitura de Campina Grande nas eleições do próximo…

Bandeira branca: aliado de Romero em CG ‘afaga’ governador

Aliado do prefeito Romero Rodrigues (PSD), e ferrenho opositor do Palácio da Redenção, o vereador Alexandre do Sindicato (PHS), surpreendeu os colegas de bancada e a oposição, ao elogiar a…