O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), deu um prazo de 15 dias para a Procuradoria-Geral da República (PGR) decidir se denuncia o presidente Michel Temer em investigação que apura se o emedebista recebeu vantagem indevida da Odrebecht.

A Polícia Federal concluiu na semana passada o relatório do inquérito. O documento aponta indícios de que o presidente recebeu R$ 1.438.000,00, por intermédio do coronel João Baptista Lima Filho. Segundo o relatório, os repasses foram solicitados por Moreira Franco a executivos da Odebrecht.

O relatório foi encaminhado pelo STF à procuradora-geral da República, Raquel Dodge. No prazo de 15 dias, Dodge decide se apresenta denúncia contra Temer, se pede o arquivamento do processo, ou se toma outras medidas.

 

Congresso em Foco

 


Certificado digital mais barato para advogados e contadores. Clique e saiba como adquirir

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Efraim Filho reforça torcida por manutenção de Mandetta na Saúde

O deputado federal Efraim Filho descartou a possibilidade de demissão do ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta. Mandetta tem se mostrado eficaz e necessário diante do enfrentamento à pandemia causada…

Vereador socialista cobra realização de sessões virtuais na CMCG

Em virtude da pandemia do novo coronavírus, as sessões na Câmara Municipal de Campina Grande, foram temporariamente suspensas, sendo previstas para acontecer apenas uma vez por semana. O vereador Anderson…