A Paraíba o tempo todo  |

Solução para conter erosão da barreira do Cabo Branco pode vir da Espanha com cimento feito de cinza vulcânica

Em entrevista a imprensa o secretário de Meio Ambiente de João Pessoa, Welison Silveira, comentou sobre as articulações da gestão municipal por meio do prefeito Cícero Lucena que está na Espanha e se reuniu com o professor Angel Paloma, do Instituto de Ciências de lá Construcción Eduardo Torroja, para tratar sobre um estudo de recuperação da vegetação da barreira do Cabro Branco visando maior estabilidade e contenção da erosão.

“A questão é que ao longo de décadas a barreira do Cabo Branco sofreu diversos deslizamentos causados pela ação dos ventos, das chuvas e também pelo avanço do mar”, disse o secretário, destacando também que objetivo da reunião com o especialista da Espanha foi viabilizar soluções, bem como propiciar condições para a cooperação técnico-científica entre as duas instituições para implementação de atividades conjuntas em pesquisa, desenvolvimento e inovação para proteger a barreira do Cabo Branco.

“Eles também conversaram sobre o cimento híbrido, do mesmo tipo do que foi utilizado em construções romanas que datam de dois mil anos. Após conversa com Angel Paloma, o prefeito da capital paraibana mostrou interesse em importar o cimento híbrido que pode dar certo para evitar futuros deslizamentos e recuperar a barreira. Mas antes de qualquer decisão, a assessoria informou que serão realizadas análises técnicas na área”, finalizou Welison Silveira.

Recentemente o prefeito Cícero Lucena se reuniu, com o reitor da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Valdiney Gouveia. O encontro aconteceu no Centro Administrativo Municipal, onde os gestores discutiram parcerias entre as instituições para a preservação e recuperação da barreira do Cabo Branco.

“Esta reunião aproxima a UFPB das demandas da cidade. A Universidade vai poder nos orientar nos principais problemas que identificamos, ajudando, entre outras coisas, na forma tecnológica para a questão da estabilização e proteção da barreira. Isso deve ser feito, inclusive, aproveitando experiências internacionais”, declarou o prefeito.

O reitor Valdiney Gouveia afirmou que a Universidade tem muito a contribuir com o processo. “Temos expertise, equipamentos e profissionais que podem somar e trabalhar junto à Prefeitura para que possamos reverter o quadro de deterioração naquela área”, disse.

Da Redação

PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Total
      0
      Compartilhe