O senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB-PB), e mais 11 parlamentares protocolaram uma ação junto ao Ministério Público Federal contra o presidente da República Jair Bolsonaro (PSL) por “ato de improbidade administrativa e dano moral coletivo no caso em que cometeu ato racista contra nordestinos e ameaçou estados”, informou o deputado Márcio Jerry, nesta quinta-feira (25).

Os parlamentares pedem a investigação da prática do ato de improbidade administrativa, por violação de princípios constitucionais da Administração Pública, como a impessoalidade e a moralidade, assim como dano moral coletivo, causado pelos atos de racismo e ameaça de perseguição interfederativa.

De acordo com o texto, a manifestação racista, que teve como alvo os cidadãos nordestinos, feriu a ética, a moralidade pública, o decoro, o respeito aos direitos humanos, em nome de fins políticos ou ideológicos, e representa uma “inequívoca afronta ao tratamento isonômico” que deve ser destinado aos estados.

Além de Veneziano, assinam o pedido os senadores Fabiano Contarato (Rede-ES), Humberto Costa (PT-PE), Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Weverton Rocha (PDT-MA), e os deputados Daniel Almeida (PcdoB-BA), Márcio Jerry, Marcelo Freixo (PSOL-RJ), Tadeu Alencar (PSB-PE), Edmilson Rodrigues (PSOL-PA) e Orlando Silva (PCdoB-SP).

Veneziano lamentou que o presidente da República, Jair Bolsonaro tenha demostrado seu caráter antirrepublicano, ao se posicionar contra os paraibanos, em declaração a jornalistas durante café da manhã no Palácio do Planalto, em Brasília.

O Senador disse que o fato de João Azevêdo não ser da base de Bolsonaro na Paraíba não pode, em hipótese alguma, significar que a população seja penalizada e discriminada pelo Governo Federal. “Eu lastimo profundamente e nós haveremos de expor nossa indignação, pois não é o fato de o estado da Paraíba, o governador, eleito dignamente em primeiro turno e que, por força de integrar um partido que não faz parte da base de apoiadores do governo, os paraibanos possam sofrer com esse tipo de comportamento antidemocrático e ofensivo”.

Veneziano afirmou ainda que a Paraíba e os paraibanos são muito maiores e que haverão de permanecer de cabeça erguida. Para o Senador, está mais que comprovado que o país está sendo governado por um “gestor antidemocrata”, que não respeita as opiniões divergentes. “Um governante tem que ter projeto de nação, não pessoal”.

Na última sexta-feira (19), antes de iniciar uma coletiva de imprensa que reunia jornalistas de 12 veículos nacionais e internacionais, sem perceber que o áudio já estava disponível aos presentes, o presidente dá um comando ao ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. Mesmo com ruído, é possível ouvir a expressão “governadores de Paraíba” e, em seguida, afirma que “o pior é esse do Maranhão”. Depois, de maneira clara, diz: “Não tem que ter nada para esse cara”.

No domingo (21), o próprio Bolsonaro reiterou sua fala, no Twitter. “Daqueles GOVERNADORES… o pior é o do Maranhão”. Foi o que falei reservadamente para um ministro. NENHUMA crítica ao povo nordestino, meus irmãos. Mas o melhor de tudo foi ver um único general, Luiz Rocha Paiva, se aliar ao PCdoB de Flávio Dino, p/ me chamar de antipatriótico”, escreveu.

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Em petição, entidades cobram ações de Cartaxo para a população de rua

Entidades não governamentais, grupo de voluntários, militantes da causa em defesa dos direitos dos moradores de rua, cidadão de todos os ramos profissionais, estão promovendo na capital uma petição pública…

Ruy Carneiro defende uso do fundo eleitoral no combate ao coronavírus

Depois de votar contra a criação do Fundo Eleitoral e Partidário, o deputado federal paraibano Ruy Carneiro defendeu nesta quinta-feira (9) a decisão da Justiça Federal de bloquear a liberação…