Em discurso após ser empossado na presidência do Senado, o senador José Sarney (PMDB-AP) disse hoje que vai comandar a Casa com o apoio dos 81 parlamentares, sem distinções partidárias. Eleito pela terceira vez para o cargo, Sarney afirmou que assume com senso da “maior responsabilidade” ao deixar de lado o seu bem-estar pessoal e social para presidir a Casa. O senador também disse que não vai priorizar “amigos ou deveres políticos” durante sua gestão.

“Tenho deveres de amizade, políticos, mas não será com o Senado que resgatarei qualquer dever de amizade ou partidário. Acima de tudo isso está a autonomia, a dignidade e os grandes interesses da nossa Casa que superam todos os outros valores”, afirmou.

O senador disse que, ao assumir o cargo, deixará de lado seu “bem-estar” pessoal e social. “Certamente, nenhum dos presentes tem dúvida que meu bem-estar social, pessoal, estaria fora das atribuições que vou enfrentar. Mas a paixão da vida pública é maior do que a paixão da própria vida. E é justamente no exercício dessa paixão que eu aqui estou”, afirmou.

Com a promessa de ouvir todos os parlamentares durante o período em que estiver no cargo, Sarney disse que não vai presidir a Casa isoladamente. “Eu respeitarei acima de tudo os nossos colegas. Não fazemos nada solitariamente aqui, é uma missão colegiada que começa comigo, se prolonga na Mesa e termina no plenário com todos os senadores. Sem a compreensão da Casa, nada pode ser feito”, afirmou.

Ao lembrar no discurso o seu passado na vida pública, Sarney disse que somente a literatura conseguiu dividir espaço em sua vida com a política. “Foi com a única coisa que dividi a minha vida, toda ela dedicada ao serviço público, maior parte dela ao Congresso –instituição extraordinária que, sem dúvida, representa o poder do povo, de questionar os governos, os costumes e o próprio Congresso.”

Sarney fez homenagens ao ex-presidente do Senado Garibaldi Alves (PMDB-RN), lembrando que ele assumiu o cargo “em um momento extremamente difícil” –logo após o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) deixar a presidência em meio a uma série de denúncias.
 

“O senador Garibaldi conseguiu restabelecer a convivência na Casa e ser merecedor do carinho e do respeito de todos nós. É esta a mensagem que envio ao senador Garibaldi, que representa a sinalização de sua passagem pela presidência do Senado em tempo tão curto, mas tão rico de realizações e atitudes”, afirmou.

Folha Online

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Análise: PSB-PB terá comissão provisória nacional para “remediar” conflito interno

“A diferença entre o remédio e o veneno é a dose”. Assim concluiu, certa vez, Paracels, médico e físico do século XVI. E a afirmação percorreu séculos de forma incólume,…

Opinião: a metáfora de “RC, João e a guerra em terra Tabajara”

A guerra foi deflagrada. Montgomery decidiu firmar o desembarque no Sanhauá de forma rápida e precisa, a fim de evitar maiores movimentos do exército oposicionista comandado pelo general Hideki Tojo.…