DISPUTA INTERNA: resultado de eleição do PPS pode interferir nas futuras alianças e partido deve apoiar candidatos da oposição

O resultado das eleições internas do Partido Popular Socialista (PPS), desfavorável a deputada Gilma Germano, pode mudar o rumo do partido em 2014. A legenda que teoricamente, iria apoiar à reeleição do governador Ricardo Coutinho, poderá não fazer coligação com o PSB, e preferir integrar o arco de aliança dos partidos que fazem oposição ao Palácio da Redenção.

Isso porque, o socialista, Laerte de Mello, que foi reeleito  presidente do partido em Campina Grande, tem afinidades com o PMDB e deve apoiar a candidatura a governo do ex-prefeito da cidade Veneziano Vital do Rêgo. O único vereador do partido da cidade, o governista Miguel Rodrigues (PPS) ligado ao grupo Cunha Lima, ficou de fora da composição da nova diretoria.

Laerte de Mello, foi reeleito durante Congresso presidente em Chapa única para comandar o partido no próximo biênio. O primeiro vice-presidente escolhido foi Manuel Vieira e a a segunda vice é Francileide Lambreia. Campina terá direito a sete delegados ao Congresso Estadual.
Melo representa a ala adversaria a da deputada estadual Gilma Germano que faz oposição a sua corrente política na sigla. Quem ficou fora da chapa do PPS e terá que militar tão somente como filiado é o vereador governista Miguel Rodrigues (PPS) que teria denunciado perseguição.

Em 2012 a ala de Laerte Melo apoiou a candidato à prefeitura do PMDB na cidade. Melo, destacou que como o vereador representava uma chapa da ala de Gilma e essa o teria o perseguido, o parlamentar campinense não poderia estar em duas chapas.
O presidente do diretório revelou ainda que convidou Miguel para assumir a presidência do conselho de ética do partido, mas o mesmo recusou. Ele rebateu também que o partido não esteja abrindo espaço para os filiados. “Sempre estamos abrindo espaços na sigla, tanto que ampliamos de 15 para 17 os integrantes do conselho municipal como de 5 para 7 os integrantes da comissão executiva”, finalizou. A reunião para eleição do novo diretório ocorreu na ACI.

O vereador Miguel Rodrigues afirmou que o Partido Popular Socialista o convidou para ser presidente da Comissão de Ética do partido.“Houve muito tempo para me fazerem esse convite, mas não o fizeram. Sinto-me marginalizado nesse momento dentro do PPS. Meu espaço aqui é zero”, reforçou.

Em João Pessoa, o quadro não é diferente. O resultado em João Pessoa também foi desfavorável a deputada Gilma GermanoO vereador Bruno Farias, eleito para comandar a legenda no município pelos próximos dois anos, é ligado politicamente ao prefeito Luciano Cartaxo, e, certamente, deve conduzir o partido para onde o PT for.
A ala do Partido Popular Socialista (PPS) que faz oposição a deputada Gilma Germano venceu as eleições em Campina Grande e João Pessoa, e agora controla o partido nos dois maiores colégios eleitorais da Paraíba. Gilma Germano, assim como o ex-prefeito de Picui Buba Germano, são aliados do senador Cássio e ajudaram na eleição do governador Ricardo Coutinho.

Na capital, o juiz da 2ª Vara Cível da Capital, Inácio Jario Queiroz de Albuquerque, resolveu reconsiderar decisāo anterior que concedia liminar ao grupo liderado pela deputada Gilma Germano, suspendendo a eleiçāo do PPS. Com a nova decisāo, os filiados que participaram do Congresso elegeram por aclamação a Chapa 1, encabeçada pelo vereador Bruno Farias, para comandar a legenda no município pelos próximos dois anos.

O vereador Bruno Farias disse que, a partir de agora o PPS de Joāo Pessoa viverá um novo tempo, voltado aos filiados, com participaçāo democrática e altivez política. "A justiça foi feita e os que temiam o voto direto dos membros do PPS foram mais uma vez derrotados. Esse pessoal, subserviente ao Palácio da Redençāo, ficou para traz. O PPS mudou e a partir de hoje viverá novos tempos", afirmou.

No mesmo evento também foram eleitos os 29 delegados apresentados pela chapa de Bruno Farias, que terāo direito a voto no próximo dia 8 de novembro, data em que o PPS realiza o seu Congresso Estadual, onde será escolhida a nova direçāo da legenda no Estado.

PBAgora
 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Em petição, entidades cobram ações de Cartaxo para a população de rua

Entidades não governamentais, grupo de voluntários, militantes da causa em defesa dos direitos dos moradores de rua, cidadão de todos os ramos profissionais, estão promovendo na capital uma petição pública…

Presidente do PT-CG diz que partido já tem 30 pré candidatos a Câmara

Sem representantes na atual bancada da Câmara Municipal de Campina Grande, o Partido dos Trabalhadores pretende mudar o cenário na próxima legislatura. Para isso, atraiu para os seus quatros nomes…