O reitor da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) professor Rangel Junior, explicou em entrevista a Rádio Campina FM, o motivo pelo qual decidiu divulgar o voto no candidato João Azevêdo (PSB), nas vésperas do primeiro turno.

Rangel contou que sua decisão de apoiar o governador eleito foi pessoal e ideológica e não usou sua posição de reitor da universidade para divulgar isso. Ao tornar público o seu voto, em um vídeo gravado e publicado nas redes sociais,  Rangel justificou que depois de ter ouvido tantas declarações absurdas em apoio prévio ao candidato ao governo brasileiro que representa tudo que nós condenamos em torno de retrocesso político e social; ele tomou a decisão de votar no candidato socialista.

Na entrevista desta segunda-feira, ele reafirmou a sua posição e disse que não pode confundir a sua ação de reitor com a atitude cidadã de participante de um partido político.

– Eu não misturo e nunca misturei as minhas ações da universidade com as de eleitor e nunca declarei voto a candidato nenhum. Eu tinha votado no então candidato Ricardo Coutinho, porque tenho uma história de militância partidária no PCdoB há 30 anos, e eu nunca quebrei esse voto de lealdade e fidelidade ao partido. Agora, não posso confundir a minha ação de reitor de universidade com minha atitude cidadã de participante de um partido político. Se fosse qualquer um eleito, eu estaria pronto para dialogar representando os interesses da UEPB. Então a minha atitude foi pessoal de cidadão e em nada ela se liga às ações da universidade em relação ao futuro” disse.

O reitor enfatizou que a sua decisão foi uma questão político-ideológica e que ele só poderia declarar o seu voto em candidatos que estejam próximos a essa linha ideológica que ele compartilha.

Rangel Junior desejou êxito ao futuro governador do Estado, e disse que espera que o gestor esteja aberto ao diálogo com a universidade, que nos últimos anos, tem sofrido com as restrições orçamentárias.

– Cada conjuntura é única e desejo êxito ao governador porque ele será governador de todos os paraibanos e, se tiver êxito, a Paraíba também terá. Esperamos que seja aberto um novo tempo de diálogo com a universidade para dialogar com as diferenças e acredito firmemente que o novo governo poderá estabelecer novos padrões e diálogo com a sociedade e a UEPB, que é uma autarquia especial – disse.

Ele disse que espera que o futuro governador dê continuidade às ações do atual como nas obras realizadas no Estado.

 

Severino Lopes

PB Agora

 


Garanta um desconto especial na sua certificação digital no Juristas Certificados Digitais

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Reforma da Previdência: Daniella e Maranhão votam a favor; Veneziano contra

Por 60 votos a favor e 19 votos contrários, o plenário do Senado Federal aprovou na noite de ontem, terça-feira (22), em segundo turno, o texto-base da reforma da Previdência…

Julian desqualifica acusações de ex-dirigente do PSL/SE: “Não é ninguém”

O deputado federal Julian Lemos, do PSL/PB, reagiu, nesta terça-feira (22), às declarações do ex-presidente do PSL de Sergipe, João Tarantela, contra ele – sobre um suposto complô na legenda…