Ironicamente, está a depender de uma vereadora da base governista a iniciativa da oposição para protocolar a CPI da Lagoa, com vistas a investigar suposto desvio de dinheiro na obra. Raíssa Lacerda (PSD) disse ontem que está analisando o documento para decidir se assina ou não – falta apenas uma assinatura.

Em entrevista ontem (13) a imprensa ela foi taxativa: “Não estou atrás de cargos”, referindo-se ao fato de que não teme represálias da prefeitura. Segundo o líder do prefeito Luciano Cartaxo na Câmara Municipal de João Pessoa, Milanez Neto (PTB) avisou, nesta quarta-feira (13) que não vai conversar ou orientar a vereadora Raíssa Lacerda, do PSD, para não assinar a CPI da Lagoa.

“Não converso com nenhum colega vereador para induzir voto no que diz respeito a CPI. Acho que isso aí parte da consciência de cada um e todos nós temos um entendimento e eu tenho o meu. Vou me manter firme no meu propósito de entender quer essa CPI hoje é inócua na Casa de Napoleão Laureano, porque as autoridades competentes já estão investigando”, disse.

Já o líder da oposição na Casa, vereadora Bruno Farias (PPS), disse, durante entrevista nesta ontem (13), que está em ‘compasso de espera’, na expectativa de saber qual será a definição da vereadora Raíssa Lacerda (PSD).

Redação

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Deputado critica Cartaxo por proibir Feira Agroecológica, em João Pessoa

O deputado federal Frei Anastácio (PT/PB) repudiou, nesta semana, a decisão da Prefeitura de João Pessoa que proibiu a realização da Feira Agroecológica do Ponto de Cem Réis, organizada por…

MPF pede quebra de sigilo bancário de ex-prefeito no âmbito da Operação Andaime

No âmbito da Operação Andaime, deflagrada em 2015, o Ministério Público Federal (MPF) solicitou a quebra do sigilo bancário e fiscal do ex-prefeito de Santa Cruz (PB), Raimundo Antunes. De…