Por pbagora.com.br

Em coletiva para atualização de dados sobre temas debatido pelo comitê de enfrentamento à covid-19, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, foi questionado sobre uma eventual participação da CPI da Covid instalada ontem (27) no Senado.

“A minha preocupação imediata é com CTI [Centro de Terapia Intensiva]. A CPI é atribuição do parlamento, se eles me convocarem eu vou lá e vou discutir abertamente o que eu tenho feito no Ministério da Saúde. Vocês todos estão vendo. Então, vamos contribuir com a sociedade brasileira, vamos prestar as informações que os senhores senadores desejarem e eu acredito que estamos todos juntos no objetivo do enfrentamento à pandemia”, afirmou o ministro.

Na coletiva, o ministro estava acompanhado do secretário-executivo da pasta, Rodrigo Otávio da Cruz, e não, como de costume, pelos presidentes do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), e da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), ambos integrantes do comitê de combate à covid.

O ministro apresentou dados sobre o cronograma de vacinação, prevendo a distribuição, a partir da semana que vem, de segundas doses atrasadas de vacinas. Ele explicou também que o ministério vai criar protocolos clínicos para padronizar algumas condutas para o tratamento de pacientes com covid-19. Segundo Queiroga, já foram editadas notas técnicas e orientações sobre o uso de oxigênio e intubação orotraqueal.

Até  terça-feira (27), o Brasil acumulava mais de 395 mil pessoas mortas pela covid, segundo o Ministério da Saúde. O número de infectados já passa de 14,4 milhões de pessoas.

 

Do Congresso em Foco

Notícias relacionadas

Em 3 meses, ALPB aprova mais de 3 mil matérias e alcança 60% da produtividade de 2020

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) aprovou 3.082 matérias nos três primeiros meses deste ano, o equivalente a pouco mais de 60% do total da produção parlamentar em 2020, que…

Alheio a debate político, PDT faz mistério sobre futuro e alianças em 2022

Após o deputado federal Damião Feliciano (PDT) ter vencido à Covid-19 em meio a uma batalha pela vida de quase 90 dias, a família tem evitado entrar no debate político…