Deputado estadual licenciando e atual secretário de Esportes do Governo da Paraíba, o socialista Hervázio Bezerra (PSB) lamentou, durante entrevista na tarde desta segunda-feira (19), o clima de crise que se estabeleceu no diretório do jardim girassol na Paraíba e avisou que, na hora que for instigado a dizer com quem lado ficará, não ficará em cima do muro.

Apesar da declaração o parlamentar disse que torce para que as peças desse xadrez político sejam colocadas em seus lugares a fim de não haver dividendos partidários. Segundo Hervázio, a crise no PSB não apenas existe, como também é dolorosa.

“Dei meu suor, meu sangue e me dediquei de corpo e alma a esse projeto. Tive debates fortes e acalorados. A crise é real, ela existe, ela é dolorosa, ela é triste para mim. Eu não vou falar se vai haver rompimento, se não vai, de que lado eu vou ficar, porque são pessoas humanas, amigos, estamos falando de dois amigos. Não é à toa que João Azevêdo foi trabalhar no Governo Ricardo na prefeitura de João Pessoa e foi Ricardo que teve a ação e a decisão de dizer – meu nome é João em 2018”, destacou.

O parlamentar confirmou ainda a existência de duas listas que circularam entre os filiados do partido para delimitar quem seria da ala que defende João Azevêdo (PSB) e quem seria da ala que defende o ex-governador Ricardo Coutinho. Mesmo sem ter revelado com quem ficaria, Hervázio disse que, na hora de decidir, não titubeará.

“De repente você se depara com lista de um lado e lista de outro para que você se posicione, eu dizia e confidenciava a alguns amigos sobre a minha situação, dos meus aliados e dos meus eleitores que acreditaram nesse projeto que já estou há oito anos. Qual a opção agora? Se houver esse rompimento, que eu torço e trabalho firmemente para que não ocorra, eu vou falar”, emendou.

Apesar de não ter revelado, Hervázio deu senhas de seu posicionamento ao relembrar uma amizade histórica com o ex-governador Ricardo. “Minha amizade com Ricardo vem desde à época em que nós éramos vereador de João Pessoa e que, mesmo eu sendo governo com Cícero Lucena, Ricardo votou em mim para presidente e para reeleição. E ele já eleito deputado estadual endureceu os ataques a Cícero e nós viramos até mesmo inimigos políticos.

“Eu não sou obrigado a dizer com quem vou ficar porque não está posto ainda. Não é Hervázio Bezerra que vai colocar no seu currículo que eu fui agente ou vetor dessa divisão. Mas quando chegar a hora de dizer com quem vou ficar, eu vou dizer, e todos sabem pelo tom de minhas colocações”, arrematou.

As declarações do socialista foram veiculadas no programa Correio Debate.

PB Agora

Total
11
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Galdino sepulta crise no PSB e diz que foco agora é a governabilidade

O presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba, Adriano Galdino (PSB) colocou uma pedra na crise que ainda assola o PSB e avisou, durante entrevista nesta quarta-feira (18), que o assunto…

João leva à Secretaria Nacional da Aviação Civil proposta de aeroporto para Patos

O governador João Azevêdo se reuniu, nesta quarta-feira (18), em Brasília, com o secretário nacional da Aviação Civil, Roney Saggioro Glanzmain, ocasião em que apresentou o projeto para a construção…