A Comissão de Cultura da Câmara aprovou o Projeto de Lei 3231/15, do deputado Veneziano Vital do Rêgo (PMDB-PB), que reduz a zero as alíquotas da contribuição para o PIS/Pasep e Cofins incidentes sobre a venda de equipamentos e materiais de construção a serem utilizados diretamente na construção, manutenção e ampliação de bibliotecas públicas da União, Estados, Distrito Federal e Municípios.

 

 Pelo projeto, o ente federativo que utilizar o benefício deverá informar previamente o vendedor de que os equipamentos e materiais adquiridos serão utilizados diretamente na construção, manutenção e ampliação de bibliotecas públicas.

 

 O gestor público e a empresa revendedora das mercadorias serão responsáveis solidários pelas contribuições não pagas, acrescidas de juros e de multa, caso os materiais e equipamentos não sejam aplicados em bibliotecas.

 

 A proposta também inclui dispositivo na lei para fixar a responsabilidade de cada ente federativo e de cada sistema de ensino em promover a manutenção e a atualização dos acervos das bibliotecas.

 

 O projeto inclui a medida na Lei 10.753/03, que institui a Política Nacional do Livro; e na Lei 12.462/11, que institui o Regime Diferenciado de Contratações Públicas (RDC).

 

 Mudanças – O texto aprovado na Comissão de Cultura é o substitutivo do relator, deputado Celso Pansera (PMDB-RJ), que fez adaptações de redação e de técnica legislativa à proposta e ao Projeto de Lei 3232/15, do mesmo autor, que tramita apensado e inclui a medida na Lei Rouanet (Lei nº 8.313/91), de Incentivo à Cultura.

 

 A proposta original mencionava “bibliotecas públicas e escolares”, o que na avaliação do relator poderia referir-se a escolas públicas ou privadas. “Quando faria mais sentido fazer referência apenas a escolas públicas, de modo que bastaria mencionar ‘bibliotecas públicas’, as quais incluem, evidentemente, as bibliotecas de instituições de ensino públicas — sejam elas de educação básica ou de nível superior”, justificou Pansera.

 

 Ele também modificou o projeto para que esse dispositivo fosse incluído em alínea da Lei Rouanet que remete a museus, arquivos públicos e cinematecas. Outra mudança inclui o incentivo fiscal na legislação tributária federal (Lei 9.718/98), mas mantém as obras e serviços de engenharia para construção, ampliação e reforma de bibliotecas públicas na lei do RDC.

 

 Tramitação – O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Educação; Finanças e Tributação (incluindo o mérito) e Constituição e Justiça e de Cidadania.

 

 

 

Redação com assessoria

 
 
Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

“Tudo vai depender da situação de cada município”, diz Wilson sobre efeitos das mudanças em 2020

Indicado pelo presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, como o coordenador  no Nordeste  responsável pelas eleições municipais de 2020, o deputado federal paraibano e presidente estadual do PTB Wilson Santiago,…

Novos diretores dos hospitais Metropolitano e de Mamanguape assumem hoje

O governador da Paraíba, João Azevêdo (PSB), disse a imprensa que nesta segunda-feira (14) os interventores nomeados para os hospitais Metropolitano, em Santa Rita e o Regional, em Mamanguape, assumem…