Uma denúncia formulada junto a Ministério Público Federal (MPF), por meio do procurador do MPF em Patos, Djalma Feitosa, está ganhando repercussão na mídia sertaneja. Trata-se que moradores do Quilombola Fonseca, no município de Manaíra, Alto Sertão do Estado, teriam denunciado ao MPF o atual prefeito da cidade, Manoel Bezerra Rabêlo, por supostas ameaças aos moradores da área.

Segundo o procurador, Djalma Feitosa, o prefeito da cidade teria dito à equipe do Incra, em novembro do ano passado, que o órgão “não deveria desapropriar nenhuma das áreas porque isso poderia se voltar contra a comunidade”. O prefeito, segundo o MPF, teria acrescentado que “o assassinato de desafetos ou rivais seria uma prática comum em Manaíra”. Ele ainda chamou os quilombolas de “maconheiros” e “vagabundos”.

Desde que o caso foi denunciado ao MPF, o líder do Quilombo Fonseca, Luís José dos Santos, de 62 anos, foi incluído no Programa de Proteção aos Defensores de Direitos Humanos, que articula medidas para a proteção de pessoas ameaçadas em decorrência de sua atuação na defesa dos direitos humanos.

Em entrevista a uma emissora de rádio local, o Luís José dos Santos, disse estar com medo de ser assassinado. “A gente que é pobre tem medo de lidar com esse povo mais rico. Preciso muito da proteção de Deus e do governo. Eu nem saio mais muito de casa”, disse.

 

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Ruy cobra solução da Prefeitura de JP para a entrega de quentinhas nas escolas

Com indignação, o deputado federal Ruy Carneiro cobrou uma solução imediata para o descaso da prefeitura de João Pessoa na distribuição de quentinhas nas escolas públicas do município. Mães e…

Prefeito de Uiraúna paga fiança e aguarda alvará de soltura

O prefeito afastado de Uiraúna, João Bosco Nonato Fernandes, pagou fiança de R$ 522,5 mil estipulada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Celso de Mello. No entanto, ainda não…