Por pbagora.com.br

Por meio de um ofício, o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República informou à Câmara dos Deputados que não possui registros de imagens do circuito interno de televisão nem a relação dos veículos que ingressaram no Palácio do Planalto nos meses de novembro e dezembro do ano passado. O ofício é datado de 14 de setembro, mas só foi encaminhado no dia 18 ao autor do pedido, o líder do DEM, Ronaldo Caiado (GO). Na manhã desta terça-feira (22), ele divulgou o documento.

As informações tinham sido pedidas pelo líder do DEM para atestar a existência ou não do suposto encontro entre a ex-secretária da Receita Federal Lina Vieira e a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff. Lina diz ter recebido neste encontro um pedido da ministra para “agilizar” investigações contra Fernando Sarney, filho do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). Dilma nega o encontro e o pedido.

 

 

O ofício do GSI reafirma que o sistema só consegue armazenar imagens por cerca de 30 dias. “Conforme as especificações do contrato relativo ao Sistema de Segurança, assinado em 2004, o período médio de armazenamento das imagens varia em torno de 30 dias”. O órgão afirma que as câmeras são acionadas por sensores de movimento e que quando o HD está cheio as novas imagens substituem as antigas, “não existindo, desse modo, as imagens relativa aos meses de novembro e dezembro de 2008”.

Em relação ao registro do ingresso de veículos, a resposta é direta. “Os veículos que transportam autoridades, após reconhecidos, não têm suas placas anotadas”.

A resposta não satisfez Caiado. “Isso seria arcaico. Qualquer condomínio no Brasil tem armazenamento por mais de 30 dias. É inaceitável receber uma resposta como esta”.

Ele já apresentou outro requerimento pedindo cópia dos contratos de segurança do Palácio. O pedido está ainda na Câmara. Caiado afirmou ainda que aceitaria debater o tema diretamente com o ministro do GSI, general Jorge Félix, se pudesse levar técnicos que entendem da área.

Caiado mostrou à imprensa um documento que mostraria que o sistema de segurança do Palácio seria mais moderno do que o divulgado. O sistema seria capaz de compactar dados e identificar automaticamente placas de veículos. O líder do DEM chegou a cogitar uma CPI caso a questão não seja esclarecida.

 

G1

Notícias relacionadas

Efraim Filho já conta com apoio de 80 prefeitos e fortalece base na busca pelo Senado

Em entrevista, o deputado federal Efraim Filho revelou que já conta com o apoio de 80 dos 223 prefeitos da Paraíba na busca pela disputa por uma vaga no Senado…

Na PB, PSOL aponta prejuízos para servidores com reforma administrativa

O ex-presidente estadual do PSOL, Fabiano Galdino, comentou postura de deputado paraibano contra a PEC 32, que discute a Reforma Administrativa na Câmara dos Deputados. Em seu perfil nas redes…