A Paraíba o tempo todo  |

Paraibanos têm quebra de sigilo bancário e telemático determinada pela CPI da Covid-19

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

A CPI da covid-19, que vem investigando as ações e omissões do governo federal no que tange ao combate à pandemia de covid-19, determinou nesta quarta-feira (30) a quebra dos sigilos telefônico e telemático de dois paraibanos. Trata-se do assessor especial da Presidência da República Tércio Arnaud Tomaz e da sua irmã Lígia Nara Arnaud Tomaz. Além deles, o blogueiro Allan dos Santos e o assessor do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), Carlos Eduardo Guimarães, também tiveram a quebra de sigilos solicitados.

A quebra de sigilos foi solicitada no intuito de que a comissão possa avançar nas investigações sobre a disseminação de fake news ao longo da pandemia.

O foco maior é com relação a possíveis postagens nas redes sociais e aplicativos de conversa, contrárias à vacinação e favoráveis ao uso do famigerado ‘kit covid’ com medicamentos sem eficácia comprovada pela comunidade científica.

Além disso, também há a suspeita de que o Palácio do Planalto e integrantes do chamado “Ministério da Saúde paralelo” teriam financiado a referida rede de notícias falsas.

PB Agora

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      1
      Compartilhe