Foto: reprodução / Rede Globo

Como costumamos dizer lá pras bandas da minha terra natal, Serraria, “ele pode até ser doido, mas besta, não”. No caso aqui, leia-se o excelentíssimo senhor presidente da República, Jair Messias Bolsonaro.

Com isso, quero dizer que nenhuma dessas “loucuras” de Jair Bolsonaro não seja de caso pensado. Tudo o que ele está fazendo: causando impacto, desafiando as instituições brasileiras, investindo contra o Estado Democrático de Direito tem algum objetivo, para não dizer que sinalizam ter o Messias a ideia de lançar mão de alguma cartada que ninguém sabe bem o que é.

Do contrário, nada estaria acontecendo. Afinal, não dá mesmo para entender como um presidente que, a cada dia fica mais isolado de tudo e de todos, não mede as consequências dos seus atos, sabendo que está sujeito aos ditames rigorosos de uma Constituição, sob a qual está subjulgado e, ao tomar posse, jurou solenemente, respeitá-la, cumpri-la e defendê-la.

Duvidoso

Embora não se veja as instituições reagindo no tom que a situação requer e, portanto, só muito timidamente, é arriscado fazer previsões sobre a possibilidade de o presidente lograr êxito com suas intenções. Repetindo: intenções estas que denotam ser vontade de Jair Bolsonaro dar um autogolpe. Mantendo-se ele como maior autoridade do país, dotado de superpoderes, para fazer tudo aquilo que lhe vier à cabeça.

Risco

O mais lógico e razoável é arriscar uma projeção: sendo mesmo a intenção de Bolsonaro aplicar um autogolpe, provavelmente, não logrará êxito. Afinal, ele está se isolando cada vez mais. Conta apenas o apoio de 30% do eleitorado brasileiro, percentual este que está caindo. E mais, desses 30%, apenas alguns gatos pingados se manifestam dispostos a sair à rua para levantar a bandeira bolsonarista, como temos visto nas últimas manifestações de rua, supostamente organizada pelo chamado escritório do ódio, a serviço do presidente.
Bolsonaro tem dito que conta com o apoio das Forçar Armadas, mas nos círculos de Brasilia levanta-se muita dúvida sobre o Exército, a Marinha e a Aeronáutica topar oferecer-lhe apoio em empreitadas com confiruração de “loucura”…

Democracia

Embora, historicamente, o Brasil tenha vivido interrupções no seu Estado Democrático, não se observa motivo, clima e conjuntura suficientes para possibilitar uma interrupção abrupta da democracia.

 

Wellington Farias

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Análise: história política, isolamento de Cartaxo e a recente decisão do Avante

A história da humanidade foi forjada por alianças sólidas entre tribos outrora nômades, grandes impérios como o Romano e Egípcio, passando pelos gregos, esses considerados como berço da civilização moderna.…

Opinião: guardiãs da democracia nutriram a ‘cobra’ chamada Bolsonaro

As instituições responsáveis por salvaguardar o estado democrático de direito vacilaram, por completo, ao não reagirem desde há muito contra os arroubos hostis à democracia manifestados por Jair Bolsonaro. Não…