Por pbagora.com.br

Desde que o PSB teve sua executiva estadual dissolvida, em 2019, que a sigla, na Paraíba, vem enfrentando uma maré de azar. Perdeu filiados e espaços. Perdeu, até mesmo, credibilidade entre a classe política. Assim como muitos de seus representantes, vive seu calvário para se reafirmar como agremiação. Agora, menos de um ano depois, longe dos tempos áureos, passa a ‘contaminar’ quem o repele.

O PT de João Pessoa é a primeira vítima. Ousou em dizer não ao PSB e a Ricardo Coutinho e, por isso, sofre as consequências, a exemplo da executiva estadual do PSB, que pagou um alto preço em 2019 por divergir do socialista.

Não deixar nomeados na gestão àqueles suspeitos de corrupção e a nomeação de Edvaldo Rosas para uma secretaria no governo estadual foi a gota d’água para os planos de Ricardo. Como não tinha mais mandato e o poder da caneta, viu no PSB sua redenção. Articulou junto à nacional até ver seu diretório dissolvido em uma só canetada.

Os petistas da Capital caminham para o mesmo destino – uma intervenção, justamente por se negar a continuar baixando a cabeça para Ricardo Coutinho.

Mestre na arte de se impor, Ricardo opta por ver o reino desmoronar, a voltar atrás. Como em um efeito dominó, prefere ver todos caírem paulatinamente, a ter que usufruir do luto da derrota sozinho.

Nesse cenário, além de ter que conviver com os processos no âmbito da Operação Calvário, é apontando também como o responsável pela façanha de dissolver dois diretórios em menos de um ano, o do PSB estadual e o do PT de João Pessoa.

NÃO É A PRIMEIRA VEZ

No passado, Coutinho teria desmanchado o diretório do PSB e retirado de Nadja Palitot o comando da legenda.

A HISTÓRIA SE REPETE

Se continuar nessa batida, PT na Paraíba terá mesmo destino do PSB, com pedidos de desfiliação em massa e uma sigla esvaziada para postular as eleições vindouras. A divergência já existe, com o presidente estadual rejeitando a postulação do próprio partido, e a presidente municipal lutando para dar visibilidade à sigla.

ALTO NÍVEL

Até para trocar acusações entre si, o nível do debate dos postulantes em Campina Grande, tem se mantido alto. No segundo cara a cara entre os postulantes, dessa vez na Rádio Arapuan, com todos os seis presentes, a troca de farpas foi bem dosada com as propostas.

ATÉ QUANDO

Mas todos sabem que os embates na Rainha da Borborema tendem a pegar fogo. É esperar para ver se esse clima ameno seguirá assim até o 15 de novembro.

JÁ EM JOÃO PESSOA

O debate político esfriou na Capital. A expectativa agora se volta para amanhã, sexta-feira (09), data em que começa o guia eleitoral no rádio e na TV. A discrepância de tempo entre os postulantes assusta, mas às vezes, nem sempre o que conta é a duração, mas o conteúdo. Na veiculação dos guias os postulantes tentaram usar o tempo como perfumes e mostrar que nos menores frascos estão as melhores fragrâncias.

CUTUCADA

Apesar de ter deixado a telinha do SBT Nacional na TV aberta, a paraibana Rachel Sheherazade segue causando polêmica. Uma frase dela, postada essa semana, no feed do Instagram, foi o bastante para provocar ofurô na rede. “Não adianta postar versículos da Bíblia se você faz a vida dos outros um inferno”, postou. A mensagem cai bem para várias esferas. No dito popular: “se a carapuça serviu, então vista”

 

Márcia Dias

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Ministro Fachin mantém intervenção do Diretório Nacional no PT de JP

O Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores conseguiu a primeira vitória contra o grupo do deputado estadual Anísio Maia, candidato do partido a prefeito de João Pessoa. O ministro do…

DOE traz exoneração de Luiz Couto de secretaria da Agricultura

A edição do Diário Oficial do Governo do Estado (DOE) que circulou neste domingo (25), com data retroativa a última sexta-feira (23), trouxe a exoneração do secretário de Agricultura Familiar…