Engana-se quem estiver pensando que a Operação Calvário é uma ação destinada a investigar e denunciar o ex-governador Ricardo Coutinho. Isto, pelo menos, é o que se espera de uma ação oriunda de uma instituição que tem credibilidade e, portanto, merece o respeito da sociedade.

No rastro das ações da Operação Calvário, têm sido recorrente as frenéticas manifestações e torcidas para que tais investigações alcancem a figura do ex-governador Ricardo Vieira Coutinho. Parece, até, que para este numeroso comboio da alegria não terá valido nada da Operação Calvário se RC não for fisgado e preso. No fundo, pouco importa o tal combate à corrupção. Para estes frenéticos torcedores, a Operação só terá logrado êxito se alcançar o ex-governador da Paraíba.

Passando do ponto

É bom lembrar que, apesar de tamanha torcida e da enorme legião antirricardista, na verdade Ricardo Coutinho não foi mencionado, muito menos acusado por quem quer seja de estar diretamente envolvido no mar de lama desvendado pela Operação Calvário.

Além disso, convém atentar para o fato de que a tal Operação, muito bem conduzida pelo Gaeco, gravita em torno do tal projeto socialista. Isto que dizer, portanto, que aqueles que antes estiveram aliados à gestão em foco, assim como os que estiveram durante e até depois, correm o sério risco de serem surpreendidos com a polícia dentro de casa, às seis horas da manhã. Portanto, se a Operação Calvário “passar do ponto”, ou seja, for além do desejam os antirricadistas, cairão muitas máscaras e haverá muita decepção.

Resumo da ópera

A menos que a Operação Calvário seja seletiva, o que nem de longe dá para acreditar, todos aqueles que direta ou indiretamente estiveram envolvidos com o projeto socialista girassol (de política e de gestão) estão sujeitos a desagradáveis surpresas.
Politicamente, o projeto pode até está partido por um rompimento político, mas para a Operação Calvário o antes, durante ou depois são tudo farinha do mesmo saco.

Arremate

Alguém assistiu a alguns dos principais figurões da Paraíba se manifestar sobre a tal Operação Calvário?…

Suicídio

A Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa da Paraíba aprovou na terça-feira, 8 – por unanimidade – o Projeto de Lei (PL 713/19) que estabelece critérios para a divulgação de casos de suicídio nos veículos de comunicação do Estado. A multa prevista varia de 200 a 3 milhões de UFIs (Unidade Fiscal de Referência).
Autor do projeto, o deputado Júnior Araújo informou que seguiu as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) para compor a regulamentação estadual.
“A OMS estabelece, entre outros critérios, a divulgação dos casos sem sensacionalismo, omitindo o ritual empregado e inserindo informações dos serviços de prevenção, que no nosso caso é o Centro de Valorização da Vida (CVV), acessado através da linha 188”, explicou o parlamentar.

“Não estamos falando aqui de proibir a divulgação. O entendimento da psiquiatria e da psicologia modernas é de que se deve falar, e falar muito, sobre o suicídio – porem sempre de maneira educativa e responsável, com viés preventivo”, acrescentou Júnior Araújo.

 

Wellington Farias

PB Agora

Total
12
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Análise: clã Cunha Lima inicia “ensaio” para voltar ao Governo da PB com Pedro

O protagonismo político do clã Cunha Lima na Paraíba foi, de certa forma, sepultado com a amarga derrota do ex-senador Cássio Cunha Lima (PSDB) que, no pleito de 2018, em…

Sexta fase da Operação Calvário cumpre mandados de busca e apreensão, na PB

Mais uma fase da Operação Calvário foi deflagrada nesta terça-feira (15). O Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado do Ministério Público da Paraíba (Gaeco/MPPB) cumpre, desde as primeiras horas da manhã…