A Paraíba o tempo todo  |
PUBLICIDADE

Opinião: O galo cantou fino!

Esperávamos uma festa de arromba no anúncio da sua pré-candidatura ao Senado, porém, não foi isso o que fez o atual deputado federal pela Paraíba, Aguinaldo Ribeiro, filho de Campina Grande. Ele jogou água fria na expectativa daqueles que o esperavam numa reunião no Bairro dos Estados, em João Pessoa, e anunciou sua desistência de concorrer ao Senado Federal.

Aguinaldo Ribeiro tomou o governador da Paraíba, João Azevedo, e o prefeito da Capital, Cícero Lucena, de surpresa, digo assim, porque os mesmos foram avisados por Aguinaldo de sua desistência, horas antes da reunião. Como eu vinha noticiando em alguns dos meus artigos, três senadores é demasiado peso para a sacola política de Campina Grande, e que deve haver um equilíbrio quanto a lideranças políticas distribuídas no estado.

Os irmãos Daniella e Aguinaldo Ribeiro, senadores pela mesma família e cidade, seria muito conteúdo para a bolsa dos Ribeiros, que se agigantariam politicamente no estado, sem ter cacife de votos para essa envergadura. Finalmente, disse Aguinaldo que quer ter um nome do seu grupo na chapa a vice-governador do estado, não sei se o Governador comerá essa isca. Com a desistência de Aguinaldo ao Senado, seu nome sai enfraquecido para dar ordens ao governador. Muita coisa ainda pode surgir na política paraibana.

A senadora Daniela Ribeiro ainda pode surpreender com uma candidatura ao governo do estado e o grupo do pré-candidato ao senado, Efraim Filho, ainda pode recuar e voltar a fazer parceria com o grupo do Governador João Azevedo. Como digo sempre: “muita coisa pode acontecer, inclusive, nada”. Disse que alguns motivos que fizeram Aguinaldo desistir, foram: a fidelidade dos republicanos à pré-candidatura de Efraim Filho ao senado, João Azevedo, mostrou-se sem forças para reverter esse quadro. Outro motivo, foi o análise de pesquisas de consumo, ou seja, internas, fazerem ver a ascensão do mago, Ricardo Coutinho, na corrida ao senado, ainda que o mesmo tenha seus problemas com a justiça, porém, no Brasil, quando há interesses embutidos, a justiça resolve do dia para noite problemas que pareciam sem nenhuma solução. Lula é o nosso maior exemplo.

Efraim Filho foi outro obstáculo para Aguinaldo Ribeiro, pois vem logo atrás do Ricardo em números de preferência diante do eleitorado. O que aconteceu nessa quarta-feira, 15 de junho, na política paraibana, foi algo inédito e inesperado. O tabuleiro político do estado sofreu uma grande sacudida e algumas peças caíram para debaixo da mesa. Nos próximos dias, João Azevedo, deve mostrar à liderança política paraibana todo o seu potencial em reverter quadros negativos, caso contrário, João também vai estar em maus lençóis. A sua reeleição até o momento está assegurada, porém, já há quem diga que em pesquisas de consumo interno, João tem sofrido perdas nos números.

João que se cuide e ponha muita atenção com os Ribeiros de Campina Grande, porque na matemática deles, em primeiro, segundo e terceiro lugar, vem os interesses próprios. Os demais, são secundários.

Elcio Nunes
@elciojnunes

    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe