A Paraíba o tempo todo  |

Opinião: O episódio Cássio-Veneziano denota falta de articulação no bloco de João

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

Independente de ter havido, ou não, conversações políticas entre os históricos adversários Cássio Cunha Lima (PSDB) e o senador Veneziano Vital do Rego (MDB), o resultado de tudo o que se disse a respeito é uma avaria nas hostes da situação.

No mínimo, azedou um pouco a relação política entre o governador João Azevedo e o senador Veneziano Vital, um dos seus mais importantes aliados, senão o mais. Se as conversas de Cássio com Vené tiveram conotação política, ou quem tratou de torná-las públicas, ai são outros quinhentos. O que vale é o resultado.

Principalmente do lado dos aliados do governador João Azevedo houve reação contra o senador Veneziano Vital. O que já basta para deixar pairando no ar um cheiro de azedume.

Não diríamos que a relação trincou, porque o que trinca não tem mais jeito.

Mas que azedou, disso ninguém tem dúvidas.

A volta às boas, vai depender muito dos fatos que vão pautar a relação entre João e Veneziano, a partir de agora. Com notórias perspectivas, claro, de que se volte a uma boa.

Queixas
Estes acontecimentos, que se tornaram o fato político do início da semana, também denotam que há falhas imperdoáveis de quem está responsável pela articulação política do bloco da situação.

Ou que não estava havendo articulação nenhuma.

Não é razoável se admitir que um aliado do tamanho político do senador Veneziano Vital não tenha tido a atenção e o cortejo a altura do que recomenda a sua importância no xadrez político, especialmente no campo da situação.

Os prováveis conversações também deixam claro que Veneziano nutre alguma insatisfação da parte do Governo, de quem é aliado. Caso contrário, o próprio Vené teria imediatamente vindo a público desfazer um eventual mal-entendido, o que não aconteceu.

Bolsonaristas
O governador João Azevedo fincou pé: não aceita que suba em seu palanque, muito menos componha sua chapa, quem apoiar a pré-candidatura do presidente Jair Bolsonaro.

Seja quem for, não interessa: se é aliado de Bolsonaro, chance zero de compor a chapa de Azevedo.

Ribeiro
Pelo menos a princípio, tudo indica que os Ribeiro não serão aceitos na chapa de João Azevedo. Afinal, sobretudo a senadora Daniela Ribeiro tem morrido de amores pelo bolsonarismo.

O irmão dela – o deputado federal Aguinaldo Ribeiro – é da turma do Centrão.
Centrão este que, desde o início da semana, Jair Bolsonaro ama de paixão…

Entonce…

Expectativa
Muito aguardada a entrevista coletiva que a tucanada dará amanhã, em João Pessoa, para anunciar algumas definições relativas às eleições 2022.

Dizem que o ex-governador Cássio Cunha Lima participará, de forma presencial, ou remotamente.

Na noite desta quarta-feira (27), Cássio concedeu, por telefone, entrevista ao programa Hora H, ancorado por Heron Cid e Wallysson Bezerra, na Rádio Pop.

Cássio falou muito mas não disse nada sobre o que será anunciado na coletiva programada para as 12h30.

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe