Por Eliabe Castor

O bairrismo envolvendo João Pessoa e Campina Grande sempre foi uma tônica forte envolvendo uma adoração, até certo ponto exagerada, entre os moradores das duas cidades. Esse fosso, de conotação histórica, por muito tempo impediu um diálogo evolvendo as lideranças políticas com raízes solidificadas na capital e Rainha da Borborema.

Prova concreta foram as dificuldades que o ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) teve para entrar naquele “bastião”. Claro, o socialista conseguiu, até certo ponto, manter uma conversa administrativa com os políticos da outrora Vila Nova da Rainha, mas algo mais profundo foi tolhido pelo bairrismo, prejudicando a economia da Paraíba como um todo.

Era algo que precisava ser minimizado, e está sendo, com os ares mais diplomáticos do governador João Azevêdo (Cidadania), tendo o aporte necessário do secretário de Articulação Política da Paraíba, Murilo Galdino. Ex-vereador de Campina Grande e irmão do presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), Adriano Galdino (PSB), o secretário peça chave nessa equação.

Está sendo Murilo Galdino o responsável pela pavimentação dos diálogos políticos e ações administrativas que João Azevêdo vem implementando em Campina Grande. Algo que toda a Paraíba observa e agradece, afinal, não estou falando apenas nos dois maiores colégios eleitorais paraibanos, mas das cidades com os dois maiores PIBs – Produto Interno Bruto – do estado.

E esse gelo que vem sendo quebrado mostra, também, a disposição dos agentes políticos de Campina Grande em conversar de forma mais aberta com o governador, algo impossível quando apenas existia a figura do emissor, não havendo o receptor, em especial os ligados à oposição. E nessa lógica, vem sendo lembrado com frequência o nome de Murilo Galdino para disputar uma vaga no Legislativo, seja no plano estadual ou federal, nas eleições de 2022.

Por enquanto Murilo Galdino vem evitando o assunto, em especial com a imprensa, mas é quase certa sua postulação, passando por uma conversa com Adriano Galdino, a fim de saber se buscará uma cadeira no Congresso ou na Casa de Epitácio Pessoa, observando que a prioridade, neste momento, é reduzir o número de infectados e mortos vitimados pela Covid-19 na Paraíba. Os acertos para o pleito do próximo ano são secundários neste momento de forte crise sanitária.

Por Eliabe Castor

Notícias relacionadas

Disposto a ouvir, MDB quer debater pauta política com João Azevêdo

O colegiado emedebista na Paraíba aprovou, nesta segunda-feira (19), durante reunião virtual a sugestão de uma reunião com o governador João Azevêdo para tratar de assuntos políticos e administrativos. O…

Câmara Criminal mantém condenação de ex-prefeito de Nova Floresta

A Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da Paraíba manteve a condenação do ex-prefeito de Nova Floresta, João Elias da Silveira Neto Azevedo. Na sentença, proferida pelo Juízo da 2ª…