Por Eliabe Castor

A temeridade que reside no entorno do governador da Paraíba, João Azevêdo (PSB), está em grande parte na sua própria figura. Pode ele vir a ser controlado à distância por um “punhado” de deputados estaduais que buscam, em seu favor, benesses eleitoreiras.

Faz-se evidente, por exemplo, o chamado G11, 12 ou 13. Não sei. Todos os dias chagam um, dois, três para a futura “comilança”. Desses que incorporaram o malsinado grupo, raposas velhas e novas integram o “abatedouro”.

Podem-se ver dois ou três bem intencionados no grupo. Isso é certo. Não mais que esse número. Mas se faz evidente que Azevêdo não é menino de soltar pipa. Homem de boa qualidade intelectual, seus discursos são equilibrados. Com toda certeza foi escolado na “A Arte da Guerra” e no “O Príncipe”.

Respectivamente escritos, em épocas diferentes, pelo estrategista militar conhecido como Sun Tzu e Nicolau Maquiavel, sendo ele um filósofo, historiador, poeta, diplomata e músico de origem florentina do Renascimento. Agora, em tempos de Calvário, Famintos e por aí vai qual o real motivo da minha observação em relação aos “Gs”?.

Criou-se uma cortina de fumaça sobre e sob o grupo, embora não tenha surgido de maneira aleatória a camuflagem. Os “Gs”, ditos e proclamados “independentes” e ao mesmo tempo dependentes, mostram uma desfaçatez incrível. Eles são fortes, e numa humildade franciscana pedem com pires nas mãos ações do Executivo. Só agora. Pois na hora exata o golpe será dado.

Por hora, importante manter as operações do Gaeco e derivações em pauta. Motivo? Todos esquecem – ou buscam “esquecer” – esse grupo. Ótimo para ele, que busca fortalecer seu corpo dentro do governo. Por fórceps, claro!

Contudo, as garras, balas de prata e crucifixos para matar ou manter vivo os “Nosferatu” surgirão em 2020, pois haverá um pleito, e a turma do “G” vai cobrar um preço alto ao governo estadual para manter sua “lealdade”. De resto, é apenas aguardar, ou Azevêdo observar quem são seus verdadeiros aliados.

E a cortina de fumaça continua.

 

Eliabe Castor
PB Agora

Por Eliabe Castor

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Opinião: Nilvan surpreendeu chegando ao segundo turno, mas JP seguiu sua linha progressista e Cícero venceu

A leitura é simples e cristalina. Vence um pleito para uma eleição majoritária quem obtém o maior número de votos. E assim foi Cícero Lucena (PP). Havia um candidato de…

Prefeitos eleitos no 2º turno das eleições 2020; veja lista

Eleitores de 57 cidades brasileiras foram às urnas neste domingo (29) para voltar no 2º turno da eleição para prefeito. Desses municípios, 18 são capitais. Lista de prefeitos eleitos no…