A Paraíba o tempo todo  |

Opinião: João Azevêdo continua em céu de brigadeiro enquanto oposição só patina

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

As evidências estão aí para atestar a opinião mais recorrente nos bastidores da política paraibana: o governador João Azevedo caminha célere para uma reeleição enquanto as oposições só patinam.


Se por um lado João Azevedo avança nas conquistas de apoios importantes, pelo outro a única pré-candidatura até agora confirmada no campo das oposições – a do ex-prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues – começa a dar motivo para especulações de que não irá até o final; de que o candidato bolsonarista estaria refazendo seus cálculos e começa a pensar que o parlamento federal seria um caminho mais viável para percorrer.


Sem decolar, Romero não quer arriscar ficar mais quatro anos sem mandato – o que é muitíssimo provável – e, portanto, o Senado ou a Câmara Federal seriam mais viáveis, segundo analistas começam a especular.


É claro que ainda é muito cedo; que em política as coisas mudam tão repentinamente quanto as nuvens, mas a realidade de hoje é esta. Aliás, o favoritismo de João Azevêdo nunca esteve ameaçado, enquanto os projetos das oposições não saem do canto.

Veneno


Mesmo assim, é preciso que alguém sopre no ouvido do governador João Azevêdo que, apesar do quadro que lhe é bastante favorável, o melhor mesmo é não confiar no veneno.
Ou seja: independente da sua situação privilegiada no cenário da política, atualmente, o mais prudente é continuar planejando, arquitetando e trabalhando muito, para suportar turbulências que porventura possam surgir até 2022.

Monturo


Perdão pelo lugar comum: não chamem para a mesma mesa o prefeito de Campina Grande, Bruno Cunha Lima, e o seu antecessor, Romero Rodrigues.
Nos bastidores a coisa tá queimando como fogo de monturo: por baixo…

Preferência


Na verdade, Bruno apenas vinha suportando Romero, que é da cota dos primos pelo ramo de Ronaldo.
Em Campina, em João Pessoa e na Paraíba, quase todo mundo sabe que se dependesse dos Cunha Lima de Ronaldo, Bruno jamais seria prefeito de Campina Grande.
Na eleição passada, a preferência tanto de Pedro, Cássio e Romero era Tovar para prefeito de Campina, e não Bruno.
Há um trinco ai…

Descendo a ladeira


Não é só na Paraíba, mas em todo o Brasil, o bolsonarismo está de ladeira abaixo.
Para que isto seja facilmente constatado, basta que se observe a guinada na opinião de importantes segmentos sobre Bolsonaro, o seu desgoverno e família.
A começar da área de comunicação. O que tem de comunicador mudando de opinião não está escrito.
Tem gente que já está até admirando o velho Lulinha paz e amor…

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      28
      Compartilhe