Por Wellington Farias

A partir dos fatos verificados na política de João Pessoa, nos últimos 20 ou 30 dias, é razoável avaliar que o pré-candidato à Prefeitura de João Pessoa, Cícero Lucena (Progressistas), tem um pé firme no segundo turno.

O cenário da política tem a mesma dinâmica das nuvens ao impacto do vento: tudo pode mudar de repente, é verdade. Mas, avaliando os desdobramentos dos últimos dias e a pobreza de capacidade eleitoral dos concorrentes, dá pra imaginar que tudo tem conspirado em favor da pré-candidatura de Cícero.

Ainda falta a Cícero Lucena – como já dissemos- pelo menos um esboço de projeto de gestão, para fundamentar o seu discurso de pré-campanha. Mas aí é outra história.
Independente do discurso e do projeto seja pelo histórico, densidade eleitoral, mais os apoios relevantes que têm conseguido, sobretudo do governador João Azevedo, Cícero é quem melhor se apresenta no cenário atual de pré-campanha visando a sucessão do prefeito pessoense, Luciano Cartaxo (PV).

Muito mistério

No mais, nada estará definido no cenário político de João Pessoa, até que se resolva a pendência inerente às condições legais de Ricardo Coutinho, para disputar a Prefeitura.
É consenso entre observadores políticos, com Ricardo o cenário será um; sem ele, é outro completamente diferente.

Estando Ricardo Coutinho elegível e na raia da disputa, não há dúvidas nenhuma de que seria ele a disputar com Cícero um eventual segundo turno das eleições municipais em João Pessoa.

Ocorre que, para os lados do PSB, tudo é muito misterioso, ainda; há muitas indefinições etc. e tal. O que, diga-se de passagem, dificulta (e muito) qualquer avaliação do quadro, sobretudo projeções a respeito.

Mas, enquanto as coisas não se definem neste campo, Cícero se apresenta como o pré-candidato mais forte, com mais densidade eleitoral e que, sem dúvida, não será fácil derrotá-lo.

Na terrinha

Na cidade de Serraria, a pré-campanha vive clima de “vira, vira, vira, voroouuu!”.
É que o partido do prefeito Petrônio de Freitas, PSD, cuja gestão é muito bem avaliada, tem convenção marcada para o próximo sábado.

Gravita nas rodas políticas da cidade que a oposição rachou e, na undécima hora, uma das duas bandas irá surgir na convenção pessedista para compor uma aliança.

O racha da oposição teria posto, de um lado, o empresário do turismo Erasmo Rocha; do outro, o agente fiscal Walter Carvalho (Careca), ex-prefeito do município.
A se confirmar o zum-zum-zum dos bastidores, e se, de fato, uma das bandas vai aderir ao projeto do prefeito, tem tudo para ser a banca capitaneada por Erasmo Rocha.
Aguardemos…

 

Wellington Farias

PB Agora

Por Wellington Farias

Notícias relacionadas

Roberto Paulino confirma intenção do MDB em se alinhar ao Governo João

Há uma inclinação do MDB da Paraíba para se aliar ao Cidadania do governador João Azevêdo. A informação é do presidente interino da legenda, o ex-governador Roberto Paulino (MDB), que…

Petista foi o único a votar contra PL que tornou atividade religiosa como essencial em JP

Indo de encontro às medidas restritivas (que incluem até toque de recolher) tomadas recentemente pela Prefeitura de João Pessoa (PMJP) – em consonância com decreto estadual – para tentar barrar…