A Paraíba o tempo todo  |

Opinião: Cartaxo reaparece e tenta marcar território no cenário que se monta para 2022

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

O ex-prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, voltou esta semana à cena política. Deu entrevistas e participou de articulações preliminares.

Foi o retorno após as eleições 2020 em que Cícero Lucena foi eleito seu sucessor na Prefeitura de João Pessoa. Até então,  Cartaxo estava recolhido a um descanso voluntário da vida pública; reabastecendo as energias, digamos assim.

Cartaxo já voltou cantando pedra de rombo; insinuando aponta alto: disse, com todas as letras, que podem incluir o seu nome na lista de pré-candidatos a governador do Estado.

Não, você não leu errado. Cartaxo disse mesmo que vai disputar a principal cadeira do Palácio da Redenção.

Será?!

Nos círculos políticos reina uma dúvida sobre a real pretensão cartaxista: disputar a sucessão de João Azevêdo seria real, ou apenas um agá para reestrear graúdo neste novo cenário?

O retorno, por si só, não tem maior significado além de uma providência natural para se manter visto e ativo na política, com seu grupo.

A dúvida é: a essa altura, com um notório desgaste que sofreu após deixar a gestão, teria o ex-prefeito Luciano Cartaxo fichas suficientes para sentar à mesa com João Azevedo e Romero Rodrigues?

Seria com o apoio de quem? De quais partidos? Quem seria o seu candidato a senador?
De um lado, Cartaxo não se junta com bolsonaristas,  segundo já revelou; do outro talvez não tenha espaço pra ele e nem fosse conveniente compor-se com João Azevêdo.

As dúvidas ainda são muitas e as projeções de cenário muito arriscadas, porque as eleições estão muito distantes,  muita água vai rolar; surpresas ainda vão acontecer e algumas articulações serão feitas de cima pra baixo, ou seja: seladas em Brasília para serem cumpridas aqui.

Proscritos
Considerando que as nuvens da politica ainda vão mudar muito de aspecto e sofrer grandes deslocamentos, não se admirem até se surgir uma chapa dos Proscritos incluindo Cartaxo e o ex-governador Ricardo Coutinho, se não conseguirem a meta de tirá-lo da vida pública até lá…

Poderá acontecer uma união de Proscritos numa chapa?

Claro. Até por força de circunstâncias…

No mais, Cartaxo fez bem ao retornar.  Para quem quer continuar na vida política a clausura é a pior opção,  sobretudo em ano pré-eleitoral.

Outra
Será que vão tentar ressuscitar a manjada história da facada sofrida por Bolsonaro, para fins eleitoreiros?

Sim, porque imediatamente após a internação do “mito” surgiu a notícia de que uma suposta obstrução intestinal do c…ão ainda seria ainda consequência daquela facada ainda não suficientemente explicada.

De qualquer forma, vamos desejar a franca recuperação do presidente.

Se ele tiver que morrer para nos deixar em paz,  que seja apenas nas urnas, e não partindo para outra.

É uma questão de princípio cristão.

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      316
      Compartilhe