Por pbagora.com.br

A coluna, hoje, presta solidariedade ao candidato a prefeito de João Pessoa, o comunicador Nilvan Ferreira. Vítima de uma tentativa de atentado, não só o postulante foi afetado, mas o processo democrático. Não se pode, em hipótese alguma, compactuar com posturas transgressoras e criminosas como o fato ocorrido na manhã de domingo (27), quando o emedebista participava de uma adesivagem na orla da praia de Tambaú.

De forma covarde e vil, conforme foi bastante difundido por todos os órgãos de imprensa da Capital e demais cidades da Paraíba, um homem teria descido de um veículo e sacado uma arma de fogo na direção de Nilvan Ferreira, desistindo da ação após seguranças e partidários do candidato irem em direção ao agressor, que fugiu do local.

Sabe-se que Ferreira prestou Boletim de Ocorrência na Central de Polícia, procedimento óbvio para o próprio resguardo da sua vida e permitindo às autoridades investigarem o crime a fim de chegarem até o autor de tamanha violência, como disse, não só contra o candidato, mas à própria democracia.

E aqui vale ressaltar que os órgãos de repressão ao crime sejam firmes a fim de encontrar essa pessoa e ficar alerta para que outros possíveis episódios não ocorrerem com outros postulantes. Sejam eles de João Pessoa ou dos demais municípios paraibanos. Não há e nunca houve espaço para esse tipo de atitude covarde.

A facada em Bolsonaro e a tentativa de atentado a Nilvan Ferreira

No campo político, enxergo a intolerância e a polarização dos adversários, que deveriam ficar nessa linha civilizada, em um processo eleitoral e pós-eleitoral. Infelizmente muitos tendem a extrapolar, tornando-se inimigos. Praticamente não existe diálogo entre o presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido), seus apoiadores e todos que fazem oposição ao seu governo. O Brasil vive o ódio sem nexo algum.

E guardada as devidas proporções, lembro que Bolsonaro foi vítima de atentado, quando levou uma facada enquanto fazia campanha em Juiz de Fora (MG). Teorias da conspiração alegam que tudo foi um truque o que, penso eu, tal fato ocorreu de verdade.

Por último, fica a indagação: até que ponto essa tentativa de atentado a Nilvan Ferreira pode reeditar a trajetória de Bolsonaro no êxito do pleito? É apenas uma pergunta, mas que deve ser levada em consideração, afinal o fato foi gravíssimo, o comunicador tem um eleitorado fiel e a ação, por sorte malograda, pode render, em linhas indiretas, indignação de muitos, computando mais simpatia à postulação do emedebista.

Eliabe Castor
PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

PB Agora/Datavox: 77,3% aprovam gestão Lorena em Monteiro

Atual prefeita e candidata à reeleição, Lorena, do PL, tem a gestão aprovada por 77,3% dos entrevistados na pesquisa realizada pelo Instituto Datavox, contratada pelo portal PB Agora, divulgada neste…

CG: “Um dos maiores desafios dos próximos gestores é impulsionar a geração de emprego e renda” diz Bruno

O candidato à Prefeitura de Campina Grande, Bruno Cunha Lima (PSD), declarou que um dos maiores desafios dos próximos gestores municipais é impulsionar a geração de emprego e renda no…