No retorno a Câmara Municipal de Campina Grande, após licença de 30 dias, o vereador Renan Maracajá (PSDC), fez um breve discurso , na manhã desta terça-feira (08) e declarou ser inocente. Ele esteve preso durante 20 dias após a deflagração da segunda fase da Operação Famintos,

Na Tribuna da Casa, Renan declarou que respeita a Justiça, mas garantiu que é inocente e que as acusações que pesam sobre ele não condizem com a verdade.

– Primeiramente, quero informar que requeri a licença de 30 dias da minha função de vereador em respeito a esta Casa e à população de Campina Grande. Devo dizer que de tudo o que sou acusado, sou inocente e irei provar minha inocência na Justiça. Quero informar, em respeito às instituições judiciais, que estou de cabeça erguida para responder. Vou continuar desenvolvendo as ações do meu mandato em respeito aos meus quase cinco mil eleitores e a população de Campina Grande – disse.

A Operação Famintos investiga um esquema de desvios de recursos da merenda escolar de Campina Grande. Renan é acusado de participar de um grupo de empresários que fraudava essas licitações na cidade, através de empresas de fachada.
O vereador governista, e mais votado nas últimas eleições municipais em Campina Grande, foi preso no dia 22 de agosto deste ano e solto após um habeas corpus concedido pela 5ª turma do Tribunal Regional Federal, em Recife.

SL
PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Gaeco denuncia RC e mais seis por desvio de dinheiro em obra do Canal 40

O Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco ), do Ministério Público da Paraíba (MPPB), através da Comissão de Combate aos Crimes de Responsabilidade e à Improbidade Administrativa…

Romero deixa para agosto decisão sobre escolha do sucessor em CG

Os pré-candidatos da base aliada do prefeito Romero Rodrigues (PSD) terão que aguardar mais alguns dias para saber quem será o escolhido para disputar a sucessão municipal em Campina Grande.…