No retorno a Câmara Municipal de Campina Grande, após licença de 30 dias, o vereador Renan Maracajá (PSDC), fez um breve discurso , na manhã desta terça-feira (08) e declarou ser inocente. Ele esteve preso durante 20 dias após a deflagração da segunda fase da Operação Famintos,

Na Tribuna da Casa, Renan declarou que respeita a Justiça, mas garantiu que é inocente e que as acusações que pesam sobre ele não condizem com a verdade.

– Primeiramente, quero informar que requeri a licença de 30 dias da minha função de vereador em respeito a esta Casa e à população de Campina Grande. Devo dizer que de tudo o que sou acusado, sou inocente e irei provar minha inocência na Justiça. Quero informar, em respeito às instituições judiciais, que estou de cabeça erguida para responder. Vou continuar desenvolvendo as ações do meu mandato em respeito aos meus quase cinco mil eleitores e a população de Campina Grande – disse.

A Operação Famintos investiga um esquema de desvios de recursos da merenda escolar de Campina Grande. Renan é acusado de participar de um grupo de empresários que fraudava essas licitações na cidade, através de empresas de fachada.
O vereador governista, e mais votado nas últimas eleições municipais em Campina Grande, foi preso no dia 22 de agosto deste ano e solto após um habeas corpus concedido pela 5ª turma do Tribunal Regional Federal, em Recife.

SL
PB Agora

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Presidente da Aesa descarta volta do racionamento em Campina Grande

Apesar da queda no volume de água no Açude Epitácio Pessoa, localizado na cidade de Boqueirão, o presidente da Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa),…

“Triste e lamentável”, define Hervázio sobre participação de presidente nacional do PSB no imbróglio da sigla na PB

O impasse interno no PSB da Paraíba, que ainda não foi resolvido, parece ter piorado após a “intervenção” do presidente nacional da sigla, Carlos Siqueira. Com autoridade para resolver o…