Com a intenção de ir conquistando aos poucos, através do seu trabalho o seu espaço dentro do Cidadania, o governador João Azevêdo declarou nesta segunda-feira (03) que não impôs em nenhum momento, como fator determinante para seu ingresso na sigla, o seu nome como presidente do partido.

João foi enfático ao dizer que não impôs condição nenhuma, já que acredita que não é assim que se chega em um projeto.

“Eu não impus condição nenhuma para entrar no partido, não é assim que a gente chega na casa dos outros. A gente chega sendo bem recebido como cheguei e a conquista de espaço depende do trabalho de cada um. Não se chega querendo comandar, se chega agregando e construindo e quem sabe no futuro haja essa decisão, mas não é tão importante” declarou.

Sobre as filiações que o partido deve ter com a sua chegada, o governador declarou que através do diálogo pretende construir o máximo de filiações, mas também disse entender que sua escolha não é unanimidade.

“Eu vou contactar com os prefeitos para ver o entendimento de cada um em 2020. Sei que não será unanimidade sei muito bem que alguns companheiros que estão conosco possam não se sentir bem  nessa caminhada, nessa escolha mas a vida é assim, mas minha escolha vai no caminho de encontrar um partido que primeiro, não tem dono, é um partido que a gente vai construir na Paraíba, e como eu encontrei isso nesse partido escolhi evidentemente me filiar ao Cidadania” concluiu.

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Socialista sinaliza apoio a pré candidatura de Ana Cláudia, em CG

A posição do Partido Socialista Brasileiro (PSB), nas eleições municipais de Campina Grande, é uma incógnita. O partido que fez oposição a gestão do prefeito Romero Rodrigues (PSD), dificilmente terá…

Bruno volta convidar socialistas para se filiar e avalia brechas partidárias para desfiliações

Diferente do ex-vereador Zezinho do Botafogo e dos vereadores Tibério Limeira e Léo Bezerra, ambos do PSB que devem migrar neste mês de março para o Cidadania devido a proximidade…