Por pbagora.com.br

O governo pretende priorizar o acesso aos financiamentos do pacote habitacional às mulheres, assim como já é prática na distribuição dos benefícios do Bolsa Família, afirmou nesta segunda-feira (9) a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil).

O programa está em elaboração pelo governo desde o fim do ano passado e deve ser anunciado nas próximas semanas.

“Consideramos essencial que o financiamento ou o acesso a essas moradias sejam prioritariamente dado às mulheres”, disse Dilma em discurso durante abertura de seminário sobre a saúde da mulher, que faz parte das comemorações do Dia Internacional da Mulher.

Dilma disse que a decisão leva em conta o papel central da mulher na família.

O governo pretende construir 1 milhão de moradias, grande parte até 2010, para famílias com renda mensal de zero a dez salários mínimos.

Estão sendo articuladas parcerias com estados e municípios para tirar a idéia do papel. Durante o dia, Dilma tem reuniões com governadores e prefeitos para definir como estados e prefeitura podem contribuir para o plano, com desonerações de impostos e ajuda para disponibilizar terrenos para as moradias.
“Não faz sentido em um programa habitacional ainda haver cobrança de tributos por parte dos estados”, comentou o governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), a jornalistas ao sair de reunião com Dilma.

O governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (DEM), também demonstrou intenção de aderir ao esforço. “O DF está preparado para entrar com os terrenos”, afirmou.

O governo federal vai atuar para reduzir os gastos com cartórios e os valores das apólices de seguro de vida necessárias ao mutuário para aderir ao financiamento.

 

g1

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Partidos e candidatos têm até domingo para realizar prestação de contas parcial

De quarta-feira (21) até 25 de outubro de 2020, os partidos políticos e os candidatos devem enviar à Justiça Eleitoral a prestação de contas parcial, dela constando todos os recursos…

Especialistas relatam a importância de um bom jingle eleitoral nas campanhas políticas

Um verdadeiro “chiclete”. Para ser bom, ele precisa ser pegajoso, daqueles que você ouve uma vez e nunca mais esquece. O ritmo não importa, contanto que seja marcante. O bom…