Por pbagora.com.br
O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) em solenidade no Palácio do Planalto Foto: EVARISTO SA / AFP

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) classificou o ex-ministro da Justiça Sergio Moro como um “espião” em mensagem publicada no Twitter neste domingo (3). O filho do presidente Jair Bolsonaro ironizou o depoimento, que se estendeu por mais de oito horas, prestado por Moro na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba neste sábado (2).

“Realmente, é preciso muito tempo dando depoimentos a delegados amigos para ver se acham algo contra Bolsonaro. Moro não era ministro, era espião”, escreveu Eduardo Bolsonaro.

MORO NA PF EM CURITIBA

Por volta das 13h15, Moro chegou à base da PF, em Curitiba, num veículo da polícia, que entrou pelo portão dos fundos do edifício.

O depoimento do ex-ministro começou por volta de 14h30 e só terminou às 22h40. Moro só deixou as dependências da PF às 00h20, sem falar com a imprensa.

Em nota, Rodrigo Sanches Rios, advogado do ex-ministro, informou que “como a investigação está em andamento, nossa manifestação será apenas nos autos”.

O ex-ministro colocou à disposição seu celular, com acesso a diversas mensagens de aplicativo de interesse dos responsáveis pelo inquérito.

Além de Moro e de seu advogado, Rodrigo Rios, estavam na sala três procuradores, um escrivão e a delegada Cristiane Corrêa, chefe do Serviço de Inquéritos Especiais (Sinq), que investiga pessoas com foro privilegiado, entre outros delegados.

Segundo Guilherme Amado, colunista da ÉPOCA, Correa foi quem conduziu o inquérito.

Os procuradores eram João Paulo Lordelo Guimarães Tavares, Antonio Morimoto e Hebert Reis Mesquita. Todos usaram máscaras durante o depoimento.

 

Revista Época

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Em entrevistas, Ana Cláudia reafirma propostas para Campina Grande

A candidata a prefeita de Campina Grande Ana Cláudia Vital do Rêgo (Podemos-19), concedeu essa semana, uma série de entrevistas a emissoras de Rádio, e reafirmou as propostas para tornar…

Opinião: Azevêdo mostra maturidade política ao exonerar Luiz Couto após ex-secretário anunciar apoio a RC

Iniciar um texto sem uma boa introdução, em minha simplória opinião, ou é imediatismo de quem redige, ou puro agrado para os leitores mais apressados. Mas o mundo digital exige…