Por pbagora.com.br

O pré-candidato a prefeito de João Pessoa, Raoni Mendes (DEM), recebeu com preocupação a notícia de que servidores da Prefeitura Municipal da Capital estão sendo perseguidos pelo prefeito Luciano Cartaxo por não estarem apoiando a pré-candidata do PV, Edilma Freire. Raoni classificou a atitude desumana, principalmente devido a crise econômica causada pela pandemia do novo Coronavírus, que tem deixado muita gente desempregada.

Ele criticou o gestor e ressaltou que, de acordo com os empregados, a PMJP está realizando uma demissão em massa dos servidores que tenham ligações com políticos vinculados ao Governo do Estado. “Vi uma denúncia em um portal onde funcionários afirmam que estão sendo demitidos por não apoiarem a pré-candidatura municipal da atual gestão. Isso é grave, e em caso de confirmação, merece uma investigação séria, pois só caracteriza a falta de uma gestão humanizada, seja para o próprio servidor que trabalha muitas vezes sem as devidas condições, seja para o cidadão que precisa de uma boa prestação dos serviços públicos”, destacou.

Raoni afirmou ainda, que o fato se torna mais grave nesse momento de enfrentamento do Coronavírus, que tem matado e provocado um choque na vida das pessoas. Segundo ele, é em um momento de crise como este, que se torna necessário pensar de maneira séria, criativa e transparente, para criar soluções viáveis. “Para isso, tenho ao meu lado, uma equipe de pessoas que estruturaram um grande projeto de soluções para os problemas existentes em nossa cidade e que atenda às necessidades da população. Porque, pra mim, João Pessoa são as pessoas. Se elas estiverem bem é porque a cidade está bem”, disse.

 

Redação com Assessoria

Notícias relacionadas

Leo Bezerra destaca parceria em ações conjuntas entre governo da PB e PMJP

Na tarde desta quarta-feira (24) durante entrevista à Rádio Pop FM, o vice-prefeito de João Pessoa, Leo Bezerra destacou a parceria entre o governo do Estado e a Prefeitura Municipal…

“Fome também mata” alerta Ruy ao lamentar valor proposto para auxílio

“Além do vírus, fome também mata” a fala e do deputado federal Ruy Carneiro (PSDB) após criticar o valor de R$ 250 proposto pelo governo federal para o novo auxílio…