A Paraíba o tempo todo  |

Marcha à ré: após polêmica, Câmara de Paulista cancela promulgação de projeto que daria recesso de 105 dias

Após a repercussão negativa, a Mesa Diretora da Câmara Municipal de Paulista, no Sertão paraibano, deu marcha à ré e decidiu não promulgar uma alteração na Lei Orgânica Municipal que ampliaria o período de recesso dos parlamentares para 105 dias.

A decisão leva em conta a inconstitucionalidade da matéria uma vez que fere o princípio da simetria com o disposto no Art. 57 da Constituição Federal.

“Tal princípio determina que há de existir uma relação de paralelismo às disposições constitucionais destinadas à União e os demais entes federativos”, diz o documento da Mesa Diretora ao justificar o ato.

O texto segue afirmando que o referido projeto é contrário ao interesse público, tendo em vista que nenhum trabalhador brasileiro goza de um período de férias tão extenso, logo o recesso proposto fere o princípio constitucional da moralidade.

Segundo o Sagres/TCE, o salário dos vereadores de Paulista é de R$ 4,1 mil. Já o presidente da casa tem vencimentos que chegam a R$ 6,5 mil.

 

Redação

 

 

PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe