Por pbagora.com.br

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta terça-feira que o “único” problema de Honduras é ter na Presidência “alguém que não deveria estar ali”, em referência ao presidente interino do país, Roberto Micheletti.

“Só tem uma coisa errada em Honduras: é estar na Presidência quem não deveria estar”, disse Lula durante a conclusão da cúpula bilateral entre Brasil e União Europeia, em Estocolmo, na Suécia.

“A solução em Honduras seria simples se os que participaram do golpe de Estado saíssem e deixassem o presidente (deposto, Manuel Zelaya) voltar. As eleições seriam realizadas em novembro e ficaria tudo bem.”

Lula afirmou que Zelaya é um “hóspede” na embaixada brasileira na capital hondurenha, Tegucigalpa, onde se encontra desde o dia 21 de setembro.

“Ele chegou lá e não íamos deixá-lo desamparado”, disse o presidente.

Integridade

O presidente também lembrou do papel desempenhado pela embaixada cubana no Chile durante o golpe de Estado perpetrado pelo general Augusto Pinochet, em 1973.

“Os chilenos se refugiaram na embaixada de Cuba e nem mesmo o Pinochet violou a integridade da embaixada”, disse.

Na declaração final da cúpula bilateral, as autoridades brasileiras e europeias pediram que o governo interino de Honduras “respeite a inviolabilidade” da embaixada brasileira em Tegucigalpa.

O texto também pede que seja mantida a integridade física de Zelaya, sua família e os membros de seu governo que o acompanham.

Distensão

Também nesta terça-feira, o assessor especial da Presidência, Marco Aurélio Garcia, afirmou que “ao que parece, Micheletti se deu conta das besteiras que está fazendo”.

Garcia se referia ao fato de o presidente interino de Honduras ter mostrado, nos últimos dias, uma maior disposição para negociar um fim para a crise no país centro-americano e ter chegado a admitir, inclusive, um eventual retorno de Zelaya ao poder.

Em mais um sinal de distensão, o governo interino suspendeu, na segunda-feira, o estado de sítio que vigorava no país desde 26 de setembro, cinco dias após a volta de Zelaya a Honduras.

Clique Leia também na BBC Brasil: Micheletti suspende estado de sítio em Honduras

Em uma entrevista coletiva no mesmo dia, Micheletti afirmou que os responsáveis pela deposição de Zelaya, em 28 de junho, serão “castigados” pela Justiça hondurenha.

Clique Leia também na BBC Brasil: Responsáveis por deposição de Zelaya serão castigados, diz Micheletti

Na quarta-feira, uma missão da Organização dos Estados Americanos (OEA) desembarca em Honduras para negociar uma solução para crise no país.

A delegação será chefiada pelo secretário-geral da OEA, José Miguel Insulza, e contará ainda com os ministros das Relações Exteriores de Costa Rica, Equador, El Salvador, México, Panamá, Canadá e Jamaica, além dos embaixadores do Brasil e da Argentina na OEA.

A missão também contará com um representante do secretário-geral da Organização das Nações Unidas, Ban Ki-moon.
 

 

 

BBC

Notícias relacionadas

Na PB, PSOL aponta prejuízos para servidores com reforma administrativa

O ex-presidente estadual do PSOL, Fabiano Galdino, comentou postura de deputado paraibano contra a PEC 32, que discute a Reforma Administrativa na Câmara dos Deputados. Em seu perfil nas redes…

Bruno Farias evita debater 2022, mas diz que não faz objeção a nome de Efraim para o Senado

O vereador Bruno Farias (Cidadania), presidente da sigla em João Pessoa, declarou na tarde desta quinta-feira durante entrevista à TV Arapuan, que os debates a respeito da formação da chapa…