Novo líder do G11 na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), o deputado estadual Felipe Leitão, do DEM, reforçou, durante entrevista nesta terça-feira (11) que seu grupo permanece integrando a base que dá sustentação ao Governo João Azevêdo na Casa e que em momento algum nenhum de seus membros, incluindo ele, se posicionou favorável ao pedido de impeachment contra o chefe do executivo e sua vice.

“O G11 é um grupo que faz parte do governo aqui na Assembleia Legislativa da Paraíba, mas que também tem sua autonomia para votar uma ou outra matéria que a gente ache julgue que não seja de bom alvitre para a sociedade paraibana. Ou seja, nós mantemos um diálogo permanente com vários segmentos sociais na Paraíba e estes tem nos procurado para fazer um diálogo de algumas matérias na Assembleia e nós somos governo sim. Mas uma ou outra matéria temos o direito de divergir do governo em relação a uma ou outra matéria que a gente avalie que não fará bem para o povo. Ser governo não é balançar a cabeça toda hora. Somos governo sim, mas temos vez e voz para nossa autonomia”, ressaltou.

Leitão esclareceu ainda que a única intenção dele é apenas ler e analisar as mais de 300 laudas apresentadas no pedido protocolado pela oposição para saber o que está sendo sustentado e assim ter argumentos para, por ventura, rebater a peça. O parlamentar ainda descartou qualquer espécie de racha no bloco com relação a esse tema e adiantou que decisão sobre esse tema será colegiada.

“O grupo comunga que a gente sim deve analisar o pedido. Qualquer matéria que chegue aqui na Casa, nós como deputados temos que ter a responsabilidade de analisar. Ou eu posso votar qualquer projeto, só porque é do Governo, sem analisar? É o caso do pedido de impeachment que tem de 300 a 400 lauda. Nós não estamos dizendo que somos a favor do impeachment, nem eu disse nem nenhum deputado disse isso. Nós apenas temos a prerrogativa de pelo menos ler e estudar, ver o conteúdo da peça formulada pela oposição. Ser governo não é ser lagartixa. É preciso também ter sua posição, sua autonomia, ter o direito pelo menos de estudar as matérias e poder fazer um juízo de valor mais apurado a fim de embasar seu voto. Aqui ninguém está sendo a favor do impeachment, aqui nós iremos analisar e avaliar”, explicou.

E prosseguiu: “O G11 não está rachado nem nessas matérias (Impeachment e CPI) nem em outras matérias. Nós vamos votar unidos e coesos na Assembleia como foi feito ao longo de todo ano de 2019”.

 

Com informações de Eliabe Castor

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Veneziano diz que Ana Cláudia pode ser 1ª mulher eleita para PMCG

O  senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB), afirmou em entrevista a Rádio Caturité FM, que a Secretária estadual de Desenvolvimento e Articulação Municipal, Ana Cláudia Vital do Rêgo (Podemos), pode…

Romero elenca qualidades que pré-candidato deve ter para ter seu apoio

Em entrevista a imprensa campinense o prefeito campinense, Romero Rodrigues (PSD), elencou qualidade que considera fundamentais para que um pré-candidato a prefeito de Campina deve ter para obter seu apoio…