O candidato a presidente estadual do PT, na Paraíba, Lenildo Morais já solicitou a direção nacional da legenda que apure os indícios de “negociata”, no afastamento do deputado Anísio Maia do cargo, por três meses, para o campinense Peron Japiassú assumir.

“Existem fortes indícios de que esse afastamento foi em troca de adesão à candidatura de Charliton Machado, que é apoiado pelo prefeito da capital, Luciano Cartaxo, e esse tipo de “rifa” não é permitido pelo PT”, disse Lenildo Morais.

O candidato a presidente do PT afirmou ainda que também existem denúncias de que, além dessa “negociata”, há outros benefícios prometidos ao grupo de Peron Japiassú. “Toda essa articulação estaria sendo feita, a partir de João Pessoa onde está o maior apoio à candidatura de Charlinton. E tem mais: as “negociatas” estariam acontecendo não só em Campina Grande, mas em outros municípios”, denunciou Lenildo.

O petista lamentou a possibilidade desse tipo de manobra está acontecendo no PT. “Eu sou candidato para assumir a direção do PT e justamente aniquilar todas as possibilidades de ações como esta. Não podemos admitir o uso da máquina pública, nem da influência do dinheiro do contribuinte em troca de cargos e votos”, afirmou Lenildo.

Ele disse acreditar que até segunda-feira, a direção nacional do PT irá se manifestar sobre o assunto, que já está sendo investigado, a partir da repercussão negativa que teve nas redes sociais e na mídia paraibana.



Assessoria de Imprensa

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Pedro responsabiliza grupo do PSB por baixas no PSDB em CG

Após ver o PSDB na Paraíba ficar fragilizado sob o seu comando, perdendo inclusive todos os seus representantes na Câmara Municipal de Campina Grande, principal base política da família, o…

Ex-deputado revela que conversas com Romero e Cássio definiram sua ida para o PSD

Após ter decidido se filiar ao PSD, o ex-deputado estadual Bruno Cunha Lima, pré-candidato à Prefeitura Municipal de Campina Grande, relatou que o motivo que o fez escolher o partido…