Em entrevista ao Estado, o governador cassado do Maranhão, Jackson Lago (PDT), rebateu as acusações que levaram à sua punição pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e disse que a participação do ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Sepúlveda Pertence na defesa de Roseana Sarney interferiu no resultado. “É muito difícil imaginar a ausência de Sarney em um processo que objetiva recolocar a filha no governo. No início do processo, não tinha a participação do ex-ministro Sepúlveda Pertence. Ele foi nomeado procurador pelo Sarney, nomeado ministro pelo Sarney e não poderia deixar de aceitar trabalhar pela filha do Sarney.”

 

Lago afirmou que espera um novo resultado no seu recurso. “Tenho muita expectativa disso de reanálise, com mais serenidade”. O governador cassado vai tentar prorrogar seu mandato com recursos judiciais. Lago pode ficar no cargo até que o TSE julgue um eventual recurso questionando a cassação. E os advogados do pedetista já começaram a trabalhar ontem nesse recurso, que deverá ser protocolado no próprio TSE após a publicação da decisão que cassou o mandato do governador. Se não tiverem sucesso, os advogados pretendem bater às portas do Supremo Tribunal Federal (STF), alegando que a decisão que cassou o governador desrespeitou a Constituição.

 

 

estadao.com.br

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Veneziano garante trabalhar por fim de impasse no PSB-PB: “Precisamos estar unidos”

O conflito interno vivido pelo PSB-PB tem dividido opiniões de integrantes da sigla. Há quem defenda a permanência de Edvaldo Rosas da presidência estadual da legenda, mas há também aqueles…

Lula pede que STF compartilhe as conversas da Vaza Jato

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) apresentou nesta terça-feira (13) um habeas corpus para que o ministro do STF Alexandre de Moraes divulgue as conversas em…